Aldi investe 60 milhões de euros em novo centro de distribuição na Moita

“A nova estrutura foi desenhada para suportar o abastecimento a mais de 150 lojas em território nacional, e surge da natural necessidade em apoiar o ambicioso plano de expansão da Aldi em Portugal, que prevê atingir as 200 lojas em 2025”, destaca um comunicado do grupo germânico de distribuição.

A Aldi Portugal investiu 60 milhões de euros no seu novo centro de distribuição na Moita, inaugurado oficialmente ontem, dia 19 de abril.

O novo centro de distribuição passa a ser o maior da Aldi em Portugal e um dos maiores do grupo Aldi Nord, passando também a ser o maior investimento alguma vez realizado no concelho da Moita.

Possui uma área total de 57 mil metros quadrados, e vai permitir abastecer de forma mais rápida e eficiente as mais de 100 lojas do grupo retalhista alimentar, em Portugal.

“O novo [centro de distribuição] da Moita, cuja construção se iniciou em fevereiro de 2021 e foi concluída este ano, conta com 89 cais de carga e descarga, 60 lugares de estacionamento para camiões e uma capacidade de armazenamento de 14 mil metros quadrados de câmaras refrigeradas. A nova estrutura foi desenhada para suportar o abastecimento a mais de 150 lojas em território nacional, e surge da natural necessidade em apoiar o ambicioso plano de expansão da Aldi em Portugal, que prevê atingir as 200 lojas em 2025. Esta infraestrutura veio permitir a centralização de toda a operação logística num só local, visto que esta estava anteriormente repartida em duas plataformas: Montijo e Quinta do Anjo”, assinala um comunicado do grupo germânico de distribuição.

O mesmo documento acrescenta que, “de forma a reforçar o seu compromisso de elevada frescura e melhor qualidade ao melhor preço para com os seus clientes, todas as áreas de armazenamento de artigos de tipologia ‘just in time’ (artigos perecíveis onde não é feito ‘stock’) foram reforçadas”.

“Este entreposto está, assim, preparado para receber e armazenar todos os produtos que o retalhista alimentar comercializa atualmente nas suas lojas, visto que está equipado com uma área de armazenamento seco, de frio positivo e negativo”, adianta o referido comunicado.

Os responsáveis da Aldi salientam também que, “para além do investimento em infraestrutura física, é igualmente de destacar o forte investimento em tecnologia”.

“A nova operação logística é suportada pelo mais recente WMS (Warehouse Management System) utilizado em todo o grupo Aldi Nord e todo o sistema de preparação de encomendas é suportado por um robusto sistema de tecnologia de voz (‘Pick by Voice’). Todas estas melhorias operacionais vão resultar num ganho de eficiência nos processos diários da operação, o que se traduz numa maior rentabilização de custos e na otimização de produtividade das equipas”, esclarece o mesmo comunicado.

Wolfgang Graff, CEO da Aldi Portugal, sublinha que, em termos de escolha de localização, “a Moita situa-se numa posição estratégica no país, em termos logísticos, não só em termos de localização geográfica e de acessos, devido à proximidade às autoestradas que facilmente podemos utilizar para chegar às nossas lojas, mas também está bem servida em termos de transportes públicos e infraestruturas relevantes para as pessoas que aqui trabalham todos os dias”.

Também do ponto de vista da sustentabilidade, “o novo Centro de Distribuição da Moita está alinhado com o compromisso do retalhista alimentar”.

“Não só conta com painéis fotovoltaicos com capacidade de produzir energia até 1MW e uma gestão inteligente da iluminação, garantida através de sensores de movimento, como as várias câmaras de frio contam com sistemas de arrefecimento, que minimizam os efeitos nocivos para a camada de ozono ao utilizarem NH3 e CO2, fluidos com menor impacto ambiental”, asseguram os responsáveis da Aldi.

Wolfgang Graff garante que “sempre vimos Portugal como uma oportunidade para crescer na Europa e estamos muito entusiasmados por poder celebrar mais uma grande conquista, a nível nacional”.

“Este Centro de Distribuição simboliza o nosso crescimento e o que pretendemos atingir em Portugal nos próximos anos. Com este novo edifício, conseguimos melhorar ainda as condições de trabalho dos colaboradores que aqui trabalham, oferecendo espaços de trabalho mais amplos e luminosos, zonas sociais mais confortáveis e estacionamento privativo para todos. Este foi um projeto que envolveu o apoio e a colaboração de vários parceiros, essenciais para o seu sucesso, e que nos vai permitir continuar a fazer a diferença em Portugal”, conclui o CEO da Aldi Portugal.

A inauguração deste novo centro contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Moita, Carlos Albino; com a vice-presidente, Sara Silva; e com o presidente da Assembleia Municipal da Moita, António Duro, entre muitos outros convidados e parceiros institucionais.

Recomendadas

“Taxa Amazon”. Barcelona prepara-se para taxar empresas de entregas

A cidade espanhola deverá aplicar uma taxa às empresas que circulem no espaço público para entregar encomendas online. Medida abrange empresas com mais de um milhão de euros em receitas anuais e deverá encaixar cerca de 3 milhões nos cofres da autarquia.

ORES Portugal compra três hipermercados por 26,2 milhões que alugará ao Continente (com áudio)

Os três ativos imobiliários são objeto de contratos de arrendamento de longa duração com o Continente, do grupo Sonae, segundo um comunicado da SIGI do Bankinter e da Sonae Sierra.

Minipreço diz que lança o primeiro saco de plástico que protege os oceanos, mas é virtual

A cadeia de supermercados Minipreço, no sentido de alertar para a imprescindibilidade de reduzir o consumo de plástico, nomeadamente sacos e descartáveis, diz que foi criado “um saco de plástico virtual que, ao invés de prejudicar a natureza, auxilia na sua preservação através de donativos”.
Comentários