Aldi vai investir 50 milhões em Santo Tirso e criar 200 postos de trabalho

Os trabalhos de instalação estão previstos “começar em março, tendo como objetivo começar a operar em meados de 2024. No total, serão 160 mil metros quadrados de terreno, dos quais 40 mil dizem respeito a área construída”, acrescenta a nota de imprensa.

A multinacional alemã de supermercados ALDI vai investir 50 milhões de euros na instalação na Área Empresarial da Ermida, em Santo Tirso, de uma plataforma logística, criando 200 postos de trabalho, anunciou hoje em comunicado a Câmara Municipal.

Os trabalhos de instalação estão previstos “começar em março, tendo como objetivo começar a operar em meados de 2024. No total, serão 160 mil metros quadrados de terreno, dos quais 40 mil dizem respeito a área construída”, acrescenta a nota de imprensa.

“Para uma segunda fase, o projeto da ALDI prevê a expansão das instalações e a criação de mais 100 postos de trabalho”, assinala ainda a publicação, indicando que a multinacional ocupará “duas das cinco novas plataformas destinadas à fixação de indústrias na Área Empresarial da Ermida, correspondentes aos terrenos da denominada Quinta da Chinesa, cujo plano de pormenor será votado esta quinta-feira, em reunião de câmara”.

Citado pelo comunicado, o presidente da câmara, Alberto Costa, acrescentou que “o valor global de investimento estimado nos novos terrenos desta área empresarial é de 130 milhões de euros, o que representa uma extraordinária mais-valia para a economia do concelho, prevendo-se a criação de cerca de 800 postos de trabalho”.

Descreve a nota que o Plano de Pormenor da Quinta da Chinesa tem uma área de intervenção de 34,8 hectares e, concluído o período de discussão pública, será votado pelo executivo municipal, para depois ser levado, a 24 de fevereiro, à Assembleia Municipal de Santo Tirso.

Recomendadas

À beira dos 100 anos de vida, Disney está prestes a perder os direitos sobre o Mickey

Os direitos de autor sobre a personagens estão quase a expirar e vão passar para domínio público, como consequência da lei dos Estados Unidos.

Jogos Olímpicos 2024. Empresa portuguesa recebe cinco milhões para construção arquitetónica

O contrato está inserido numa operação de 136 milhões de euros e visa a construção da Arena Porte de la Chapelle, que vai servir de palco para os Jogos de 2024.

MP pede ao Tribunal da Concorrência para manter coima de 48 milhões à EDP e empresa pede absolvição

O Ministério Público pediu hoje ao Tribunal da Concorrência para manter a coima de 48 milhões de euros aplicada à EDP Produção por abuso de posição dominante, tendo a empresa defendido a absolvição “pura e simples”.
Comentários