Alemanha aprova estímulo de 2,2 mil milhões para compra de carros elétricos

Do total de 130 mil milhões de euros, 2,2 mil milhões de euros serão destinados aos cidadãos que queiram adquirir um veículo elétrico, enquanto aos fabricantes serão destinados dois mil milhões de euros para o desenvolvimento e pesquisa em mais tecnologia. 

A Alemanha vai canalizar vários milhões de euros em subsídios que irão cortar o preço dos veículos elétricos. Esta medida faz parte de um estímulo económico de 130 mil milhões de euros do governo que pretende ajudar os fabricantes de automóveis a vender carros ‘verdes’, aponta a ‘CNN’.

O apoio atual irá duplicar até aos seis mil euros para os carros elétricos que custem até 40 mil euros, e o subsídio pode aumentar até aos nove mil euros caso existam apoios pela parte dos fabricante, avançou o partido de Angela Merkel. Outra medida, ainda que temporária, aplicada pela Alemanha é a redução do imposto de vendas de 19% para os 16%.

O objetivo deste estímulo é recuperar a maior economia europeia, sendo que do total de 130 mil milhões de euros, 2,2 mil milhões de euros serão destinados aos cidadãos que queiram adquirir um veículo elétrico, enquanto aos fabricantes serão destinados dois mil milhões de euros para o desenvolvimento e pesquisa em mais tecnologia.

“Isto é sobre energias renováveis. Isto é sobre todas as atividades climáticas que são necessárias para chegar à neutralidade [carbónica] em 2050”, explicou o ministro das Finanças, Olaf Scholz, acrescentando que agora é o tempo de agir.

O estímulo geral corresponde a 4% da produção económica anual do país, sendo que quando se combina os gastos e benefícios fiscais previamente anunciados para combater a pandemia, o montante total de estímulos de emergência eleva-se até aos 14% do Produto Interno Bruto.

Este estímulo pretende impulsionar o esforço dos fabricantes alemães, onde se inclui a Volkswagen, para fabricar mais veículos elétricos. O grupo Volkswagen pretende gastar 33 mil milhões de euros em desenvolvimento elétrico até 2024, expandindo-se assim para novas áreas de negócios em clara expansão.

Com quebras claras na compra de veículos, também a produção caiu com a pandemia e desde 1991 que não se via um ano tão negro na procura de automóveis. Com quebras superiores a 70% em Portugal, estimam-se quebras ainda maiores na indústria alemã.

Apesar das quebras gerais de vendas automóveis, os carros elétricos estão no caminho para impulsionar uma recuperação, estima a empresa Canalys. O mercado europeu de veículos elétricos e híbridos plu-in cresceu 72% no primeiro trimestre de 2020 e estas duas categorias representam mais de 7% de todos os carros novos entregues na Europa.

O estímulo alemão foi maior do que os analistas previam e além do investimento em carros ‘verdes’, o governo alocou algum dinheiro para investimentos verdes, incentivos fiscais e alívios financeiros para as famílias com crianças.

Relacionadas

Volkswagen investe 2,3 mil milhões de euros em startup de condução autónoma

O investimento nesta startup irá permitir que a Volkswagen explore as possibilidades da autonomia na condução e aproximar-se da concorrente Tesla.

Dieselgate: tribunal alemão condena Volkswagen ao pagamento de indemnizações

O tribunal alemão decidiu ainda que os proprietários podem também devolver os veículos para um reembolso parcial do preço pago inicialmente.

Paragem de seis semanas na Autoeuropa suspendeu produção de mais de 29 mil automóveis

Segundo contas feitas pelo Jornal Económico, com base na média diária de produção de 2019, as seis semanas de suspensão da atividade representam um corte na produção anual acima de 11%. Apesar da suspensão, a maior exportadora nacional quer manter a qualidade dos seus automóveis: “Queremos que continuem a identificar o T-Roc como um bom carro ‘made in Portugal’, exportado para todo o mundo”, segundo o diretor-geral da fábrica.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Qatargate: Parlamento Europeu levanta imunidade dos acusados

O processo está a ser conduzido em tempo recorde, o que prova que a câmara sentiu o acontecimento como uma verdadeira catástrofe reputacional, como aliás disse a sua presidente, Roberta Metsola.

Forças francesas apreendem carregamento de armas do Irão para o Iémen

Autoridades dizem que as armas seguiam para os rebeldes Houthi, mas o regime de Teerão afirma que nada tem a ver com o assunto. A guerra civil está num momento de cessar-fogo, mas o potencial de regresso dos combates é grande.
Comentários