Alemanha deve subir preços da energia para diminuir o consumo dos cidadãos, recomenda Ifo Institute

“O que é necessário é uma série de medidas de apoio direcionadas para garantir que ninguém seja sobrecarregado além de suas possibilidades”, diz Karen Pittel, investigadora do Ifo, acrescentando que só assim se podem reduzir consumos e enfrentar a crise energética.

Bloomberg

O governo alemão deve subir preços da energia para diminuir o consumo dos cidadãos, recomenda o Ifo Institute for Economic Research. “O consumo de energia não cairá o suficiente a menos que os consumidores recebam contas mais altas. O que é necessário é uma série de medidas de apoio direcionadas para garantir que ninguém seja sobrecarregado além de suas possibilidades”, diz Karen Pittel, investigadora do Ifo.

Num artigo para o “ifo Schnelldienst”, Pittel, diz que cooperação e solidariedade também são necessárias dentro da União Europeia para minimizar o impacto em todos os estados membros.  “Com uma ação rápida e decisiva dos formuladores de políticas, as consequências do corte da oferta da Rússia serão dolorosas, mas gerenciáveis”, indica.

Em comunicado que a cita, a investigadora acrescenta que a crise coloca desafios para os orçamentos públicos e que a única maneira de os piorar é se os formuladores de políticas tiverem atenção aos seus gastos e limitarem os déficits fiscais. Na opinião de Pittel, o terceiro pacote de ajuda do governo alemão ainda é muito amplo, oferece poucos incentivos para economizar energia e precisa de ser complementado com urgência, especialmente no que diz respeito à resposta à crise do gás. Ao aplicar novos instrumentos, como um imposto sobre lucros extraordinários de empresas de energia, deve-se considerar cuidadosamente os benefícios de curto prazo e os custos de longo prazo.

Relacionadas

Kremlin culpa os europeus pela suspensão de fornecimento ao Nord Stream 1

Um porta-voz do Kremlin reiterou que a manutenção do Nord Stream 1 só será possível se a Europa cumprir com a sua parte, fazendo a manutenção dos equipamentos pertencentes à Gazprom.

Alemanha anuncia novo pacote de 65 mil milhões para ajudar famílias e empresas

Os partidos que integram o governo de coligação na Alemanha chegaram hoje a acordo sobre este terceiro pacote de apoios, apresentado durante uma conferência de imprensa conjunta do chanceler alemão, Olaf Scholz, e dos líderes dos partidos da coligação.

Alemanha quer usar lucros extraordinários das empresas para reduzir preços

O chanceler alemão, Olaf Scholz, anunciou este domingo que o seu governo pretende usar os lucros excecionais das empresas de energia para reduzir a fatura energética dos consumidores.

Olaf Scholz: Alemanha “será capaz de lidar com este inverno”

Olaf Scholz falava na conferência de imprensa em que apresentou um novo (o terceiro) pacote de ajuda às famílias e empresas perante o aumento do custo de vida e da energia, aumentando para 65 mil milhões de euros o valor global das medidas de apoio na Alemanha.
Recomendadas

União Europeia chega a acordo para cobrar impostos sobre os lucros extraordinários das energéticas

O acordo que ficou estabelecido entre os ministros dita que os 27 Estados-membros imponham impostos às energéticas que, até ao momento, beneficiaram do aumento dos custos da energia, informou a UE em comunicado.

Barragens no Douro Superior asseguram caudais “que estado Espanhol não consegue”

O presidente da Associação de Municípios do Douro Superior (AMDS) defendeu hoje a importância das barragens do Baixo Sabor e de Foz Tua na regulação dos caudais da Via Navegável do Douro (VND), quando há dependência de Espanha.

Nordstream. Governo condena sabotagem e considera que UE está “sob ataque”

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus considerou hoje que a União Europeia (UE) está sob ataque, numa alusão à sabotagem das condutas do Nordstream I e II, e elogiou a atuação da presidente da Comissão.
Comentários