Alemanha. Produção industrial cresceu 2,6% em setembro

A produção na indústria, deixando de fora a energia e construção, cresceu 4,2%, de acordo com as estimativas do Escritório de estatísticas alemão.

4 – Alemanha

A produção industrial na Alemanha cresceu 2,6% em outubro de 2022 face ao mesmo mês de 2021 (+1,6% em agosto), em termos reais (preço e calendário ajustados). Também em setembro, a produção industrial cresceu 0,6% em comparação com mês anterior (-1,2% em agosto face a julho de 2022).

As estimativas foram divulgadas, como é habitual, pelo Escritório Federal de Estatísticas daquele país e indicam que, comparado o mês de setembro com o mês homólogo, a produção na indústria, excluindo a energia e construção, cresceu 4,2%. A produção de energia nos ramos industriais intensivos foi superior em 9,7%, em setembro, comparativamente com os valores de agosto.

Em comparação com os registos de agosto de 2022, observou-se em setembro uma subida da produção na energia e na construção na ordem de 0,7%. A produção de bens consumíveis aumentou 1,4% e a produção de bens capitais subiu 1,1%. Por outro lado, registou-se uma redução na produção de bens intermédios no valor de 0,1%.  A produção de energia subiu 1,7%, ao passo que a produção na construção sofreu um decréscimo de 0,3%. Em contraste com a generalidade dos indicadores, a produção de energia nos ramos industriais intensivos reduziu 0,9% em setembro, face ao mês anterior.

A produção continua a ser afetada pela escassez de produtos intermédios, que geram enormes dificuldades das empresas, de acordo Escritório Federal de Estatísticas da Alemanha.

Recomendadas

“Orçamento da Saúde para o próximo ano poderá não ser suficiente”, alerta Correia de Campos

O antigo presidente do Conselho Económico e Social destaca o aumento de 2,7% do orçamento para a Saúde para 2023 mas adverte que o mesmo não vai ser suficiente tendo em conta que não acompanha “nem a inflação, nem a manutenção do equipamento, nem o reforço salarial necessário”

Portugal e Espanha terão de continuar a ter “exceção ibérica” no preço do gás

O primeiro-ministro disse que tem de continuar a haver uma “exceção ibérica” para os preços do gás mesmo que seja criado um novo mecanismo europeu, porque Portugal e Espanha continuam a ser “uma ilha” energética.

Costa contraria ideia de empobrecimento e afirma que Portugal está a crescer mais do que Alemanha, França e Espanha

Dados de Costa surgem dias depois das previsões de Outono da Comissão Europeia, cujas mais recentes previsões indicam que em 2024 a Roménia ultrapassará Portugal no ranking de desenvolvimento económico da UE.
Comentários