Alemanha também já começou campanha de vacinação

Depois da Hungria, também a Alemanha se antecipou ao acordo entre os estados-membros para o arranque da vacinação na UE e as primeiras doses já começaram a ser administradas.

A Alemanha começou este sábado a administrar as primeiras vacinas contra a Covid-19, poucas horas após receber os primeiros carregamentos, contrariando os planos da União Europeia (UE) de uma implementação coordenada, que arranca no domingo.

Depois de a Hungria ter começado também este sábado a vacinação contra a Covid-19, a agência Associated Press (AP) deu conta de que também na Alemanha começaram já a ser administradas vacinas, um dia antes da data marcada pela UE para os 27 Estados-membros.

“Cada dia que esperamos é um dia a mais”, disse Tobias Krueger, trabalhador de uma casa de saúde onde começou a vacinação, em Halberstadt, na região da Saxónia-Anhalt, no nordeste da Alemanha.

A primeira pessoa a ser imunizada com a vacina da Pfizer-BioNTech foi Edith Kwoizalla, de 101 anos, informou a agência de notícias alemã DPA.

Segundo Tobias Krueger, 40 dos 59 pacientes da casa de saúde quiseram ser vacinados, bem como 10 dos cerca de 40 trabalhadores.

Na Hungria, médicos e profissionais de saúde começaram hoje a ser vacinados. Segundo a agência Associated Press (AP), não se conhecem os motivos que levaram a Hungria a iniciar a vacinação um dia antes do previsto para todos os Estados-membros da UE, que receberam as primeiras remessas de vacinas hoje e na sexta-feira.

As autoridades da Eslováquia também anunciaram que planeiam começar a administrar as suas primeiras doses esta noite.

Num vídeo divulgado aquando do lançamento da vacina, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, considerou que este é “um momento comovente de unidade”.

“Hoje, começamos a virar a página de um ano difícil. A vacina contra a covid-19 foi distribuída em todos os países da UE. A vacinação começará amanhã [domingo] em toda a UE “, disse a responsável.

A Hungria recebeu esta manhã a primeira remessa de 9.750 doses – o suficiente para vacinar 4.875 pessoas, já que são necessárias duas doses por pessoa — que foram, de seguida, encaminhadas para o Hospital Central South Pest, em Budapeste.

O governo húngaro disse que quatro outros hospitais, dois em Budapeste e outros nas cidades de Debrecen e Nyiregyhaza, também receberão vacinas do primeiro carregamento.

As vacinas desenvolvidas pela BioNTech e pela Pfizer começaram a chegar aos países da UE na sexta-feira, em camiões que garantem a manutenção de uma temperatura extremamente baixa, provenientes de um centro de produção na Bélgica.

O lançamento da vacina resulta da coordenação de todos os 27 Estados-membros da UE, contribuindo, também, para a projeção de uma imagem de unidade, após negociações difíceis em torno de um acordo comercial pós-Brexit com o Reino Unido.

As primeiras doses, no entanto, são limitadas a pouco menos de 10.000, na maioria dos países, com os programas de vacinação em massa previstos para arrancar apenas em janeiro.

Recomendadas

As pessoas não podem ficar para trás na nova era

Milhões de euros de investimentos e centenas de megawatts. Ao escrever e ler sobre o mundo da energia, é normal que os grandes números sejam abordados, tal a dimensão dos projetos.

Crise vai sentir-se no sector automóvel, mas pode ser uma oportunidade para Portugal? Veja a JE Talks

O atual cenário de inflação e aumento de custos energéticos soma-se às fragilidades já conhecidas dos fabricantes decorrentes da pandemia. Como vão as empresas – e o país – contornar os desafios mantendo o foco na descarbonização? Saiba tudo nesta JE Talks.

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.
Comentários