Alentejo, Açores e Norte entre as regiões escolhidas para projeto de inovação regional na Europa

Bruxelas escolheu 63 regiões, sete cidades e quatro Estados-membros para uma ação-piloto de inovação. “A cooperação e a inovação são ingredientes essenciais do desenvolvimento sustentável e resiliente das regiões da União Europeia. Todos os territórios têm um potencial de inovação que precisa de ser aproveitado”, diz Elisa Ferreira.

O Alentejo, os Açores e o Norte foram três das regiões escolhidas pela Comissão Europeia para um projeto-piloto de parcerias para a inovação regional na União Europeia (UE), no qual os territórios portugueses terão de partilhar boas práticas e testar e desenvolver entre si ferramentas para mobilizar financiamento e políticas.

Bruxelas seleccionou 63 regiões, sete cidades e quatro Estados-membros para esta ação-piloto, cuja ideia é que haja uma conexão e partilha de programas regionais e nacionais sobre ecologia e transformação digital e se explorem novas parcerias, tendo por base o manual tático “Parcerias para a inovação regional”, divulgado esta terça-feira pelo Centro Comum de Investigação.

Segundo Elisa Ferreira, “a cooperação e a inovação são ingredientes essenciais do desenvolvimento sustentável e resiliente das regiões da UE e “todos os territórios têm um potencial de inovação que precisa de ser aproveitado”. “Aguardo com expectativa os resultados do projeto-piloto e espero que contribua para colmatar a clivagem persistente no domínio da inovação entre as regiões, que limita o desempenho da UE no seu conjunto”, afirmou a comissária da Coesão e Reformas.

Na opinião da comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, “só é possível construir economias mais fortes e mais limpas e sociedades mais justas se a inovação estiver no centro da agenda política da UE”. “Precisamos da inovação em todas as regiões e em todos os países, conectados entre si, para podermos ter êxito nas transições ecológica e digital. Estas parcerias permitem-nos construir pontes para facilitar sinergias de investimento e soluções inovadoras”, garante Mariya Gabriel.

A Comissão Europeia adianta que, entre os participantes, encontram-se ainda a região do Mar Báltico, o mecanismo das biorregiões e um consórcio alargado «Cidades 4.0» (Lovaina, na Bélgica, Bolonha, em Itália, e Turku, na Finlândia), que envolve Eindhoven (Países Baixos), Espoo (Finlândia) e Cluj-Napoca (Roménia).

Recomendadas

Scooters elétricas. Roma vai impor novas regras para evitar incidentes

Dezessete pessoas morreram no país nos últimos dois anos após incidentes que envolveram e-scooters, para além de estarem envolvidas em atos de vandalismo a património da cidade.

Severodonetsk “totalmente ocupada” pela Rússia, segundo autarca

A cidade de Severodonetsk, no leste da Ucrânia, está “totalmente ocupada” pelas forças russas após semanas de combates intensos, segundo informações do presidente da câmara, Oleksandr Stryuk.

Rússia não vai aderir ao Tratado sobre Proibição de Armas Nucleares, diz Kremlin

Moscovo continua a defender que o desenvolvimento do TPNW foi prematuro, erróneo e contraproducente. Em relação ao tratado, acusa-o de não ter em conta o cenário geopolítico e militar, e de não aproximar a humanidade da meta nele declarada.
Comentários