Aleppo vista de drone. Completamente destruída. Sem cor e sem vida.

É isto que resta do distrito de Busan al-Qasr depois de um bombardeamento, a 14 de Dezembro, que matou seis pessoas e feriu dezenas.

Esta é hoje a realidade de Aleppo. Lugares que antes eram ruas, jardins, escolas e lares, são hoje lugares de destruição.

A cidade de Aleppo tinha 2 milhões de habitantes. Desde 2011 morreram cerca de 300 mil pessoas.

Recomendadas

Itália: Velha guarda da Liga Norte pede cabeça de Salvini após revés

A velha guarda da Liga Norte, transformada em Liga com Matteo Salvini como líder, criticou-o duramente após o revés nas legislativas de domingo.

Agência de Energia e Irão retomam contacto em Viena

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, reuniu-se com o chefe do programa nuclear iraniano, Mohammad Eslami, para retomar os contactos e esclarecimentos.

São Tomé: CPLP diz que comissão eleitoral é soberana na divulgação de resultados

O chefe da missão de observação eleitoral da CPLP, o embaixador Rafael Vidal, disse que a lei são-tomense não obriga à divulgação dos resultados provisórios antes da contagem nos distritos.
Comentários