Alina Kabaeva. Quem é a amante de Putin e mãe de quatro dos seus filhos?

De acordo com a “Fortune”, a ex-ginasta estará escondida numa villa de luxo na Suíça, juntamente com os seus filhos. Para já, Kabaeva foi a única pessoa próxima de Putin que conseguiu fugir às sanções do Ocidente.

Foi, em tempos, reconhecida como a mulher mais flexível da Rússia, ganhou medalhas de ouro em campeonatos de ginástica e subiu por duas vezes ao pódio dos Jogos Olímpicos, dando vitórias à Rússia. Agora, é conhecida como a “Eva Braun” de Vladimir Putin e mãe de quatro dos seus filhos.

Aos 38 anos, Alina Kabaeva soma 21 medalhas de campeonatos europeus, 14 medalhas de campeonatos mundiais e duas medalhas olímpicas mas foi a proximidade do presidente russo que trouxe o seu nome à luz do dia. A imprensa internacional denuncia que Kabaeva é a amante de Putin e mãe de quatro dos seus filhos, dois rapazes e duas raparigas gémeas e que se encontra exilada na Suíça, de onde quer evitar sair.

De acordo com a “Fortune”, a ex-ginasta estará escondida numa villa de luxo na Suíça, juntamente com os seus filhos. Para já, Kabaeva foi a única pessoa próxima de Putin que conseguiu fugir às sanções do Ocidente e refugiar-se sem que o seu paradeiro fosse conhecido.

A “Page Six” denuncia que o governo suíço não mostra ter informações sobre a localização de Kabaeva e dos seus filhos no país. Várias fontes indicaram à publicação que a ex-campeã olímpica viaja sempre em jatos privados e nunca sob o seu nome verdadeiro, algo que mostra que Kabaeva pode ter vários passaportes.

Alegadamente, os quatro filhos terão nascido na Suíça e terão passaporte suíço mas Kabaeva é a única que terá múltiplos passaportes e sob diferentes nacionalidades, algo que lhe permitirá viajar de forma incógnita.

Amigos pedem fim da guerra

Várias pessoas próximas de Alina Kabaeva estão a pedir que a ex-ginasta se desloque até à Rússia e peça ao alegado pai dos filhos o fim da guerra contra o povo ucraniano.

“As amigas da Alina estão a suplicar que ela vá até Putin e o convença a terminar com a guerra”, apontou uma fonte próxima da medalhista à “Page Six”. “Ele não parece estar a dar ouvidos a ninguém, mas talvez a oiça”, disse.

Apesar de não se dar a conhecer ao público, as fontes indicam que Alina tem receio de sair da Suíça e não voltar a conseguir entrar, uma vez que o país quebrou a sua neutralidade ao condenar publicamente a Rússia e congelar os bens de vários oligarcas no país.

“Putin está rodeado de segurança. A Alina não sabe se consegue chegar até ele, e mesmo que consiga, ela não sabe se consegue sair e ir ter com os filhos”, indicou a mesma fonte.

Petição exige que Kabaeva seja expulsa da Suíça e abandone medalhas

Uma petição na plataforma Change.org pede que Alina volte a reunir-se com Vladimir Putin na Rússia, abandonando o território europeu. Mais de 50 mil pessoas já assinaram a petição “É tempo de reunir Eva Braun com o seu Führer”, numa clara analogia a Adolf Hitler e à sua mulher.

Vários oponentes de Putin já pediram que Alina Kabaeva seja expulsa da Suíça e que as autoridades investiguem a sua presença no país desde 2013, ano em que nasceram as filhas gémeas.

Kabaeva é a única pessoa dentro do círculo pessoal de Putin que ainda não viu a aplicação de sanções. A ex-ginasta faz parte do conselho de administração do National Media Group, um órgão de comunicação pró-Kremlin, e onde dados indicam que Kabaeva ganha 10,5 milhões de dólares por ano.

A petição pede que a extradição da amante de Putin aconteça e que a mesma seja condenada por crimes contra a humanidade, uma vez que quando esteve no parlamento escreveu uma lei onde privou órfãos russos de serem adotados por pessoas em países estrangeiros, que ficou conhecida como a lei de Dima Yakovlev.

Outra petição distinta na Change.org pede que sejam retiradas as duas medalhas olímpicas à ex-ginasta, uma vez que esta apoia Putin e acaba também por ser culpada por “aterrorizar pessoas inocentes na Ucrânia”.

Recomendadas

Reino Unido apela no G7 a apoio “pelo tempo que for necessário” à Ucrânia

O apelo, refere a agência de notícias Efe, que cita um comunicado do Governo de Londres, vai ser feito no arranque da cimeira do G7, que começa hoje e vai durar três dias, no sul da Alemanha.

Reino Unido, EUA, Canadá e Japão proíbem importações de ouro russo

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou, num comunicado, que “estas medidas atingirão diretamente os oligarcas russos e irão até ao coração da máquina de guerra de Putin”.

Zelensky vai pedir ao G7 mais apoio militar face a “chuva de mísseis” russos

O presidente ucraniano afirma que o país “precisa mais do que qualquer outro lugar do mundo” dos “sistemas modernos” de defesa militar que fazem parte dos arsenais de vários países ocidentais.
Comentários