PremiumAlmada: As ideias megalómanas que prometeram revolucionar a margem sul

Outrora vista como mero “dormitório” de Lisboa, Almada tem suscitado o interesse de investidores que veem na margem sul uma alternativa à capital. Além do mais recente Innovation District, as últimas décadas ficaram marcadas por outros grandes projetos, como o Lisbon South Bay ou mesmo a transformação de Cacilhas na “Manhattan lisboeta”. Mas a maioria (ainda) não saiu do papel. Será desta?

Almada e a sua vista privilegiada sobre o Tejo e a cidade de Lisboa têm estado na mira dos investidores nas últimas décadas. Conhecida pela vasta oferta de habitação a preços mais acessíveis do que na capital, foram vários os empreendimentos urbanísticos projetados para requalificar e desenvolver o concelho, aproveitando o seu forte potencial imobiliário e turístico. De grande parte desses megaprojetos ficaram apenas as maquetes e as faturas de milhões gastos em estudos, como foi o caso da ‘Manhattan de Cacilhas’. Mas, enquanto outros projetos estratégicos (como a Cidade da Água e o Cais do Ginjal) estão ainda por executar, há já um novo projeto a ganhar forma, esperando-se um “efeito de contágio” em todo concelho de Almada.

Partindo do conceito live-work-play (local para viver, trabalhar e para o lazer), o Almada Innovation District (Bairro de Inovação) é o mais recente projeto com vista a criar uma “nova cidade” de Almada. A iniciativa conta com o “apoio estratégico” da Câmara Municipal de Almada e pretende misturar um “estilo de vida sustentável” com inovação, emprego e conhecimento tecnológico, num investimento total de 800 milhões de euros. A ideia é criar um novo centro na Área Metropolitana de Lisboa, que seja capaz de captar investimento nacional e estrangeiro e esteja assente em soluções de construção ecológicas, sustentáveis e ambientais “inovadoras”, para garantir o cumprimento das metas para atingir a neutralidade carbónica em 2050. Há, inclusive, a ambição de criar uma comunidade energética, com produção própria.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Apenas 2,4% dos jovens são sindicalizados. “Temos de repensar os sindicatos”, diz presidente do CNJ

Sindicatos são a forma de participação política com menos força entre os jovens. A conclusão é de um estudo da Universidade Católica para o Conselho Nacional de Juventude. Redes sociais já têm mais peso do que a televisão na interação dos portugueses dos 18 aos 30 anos com a política.

PremiumPatrões querem que todas as despesas de teletrabalho fiquem isentas de IRS

Governo estuda fixar um valor até ao qual as despesas de teletrabalho estão livres de IRS. Patrões consideram positivo, mas avisam: ideal seria todos os pagamentos estarem isentos.

PremiumTaxa dos sacos de plásticos rende 2,1 milhões em sete anos

Receita arrecadada com a contribuição sobre os sacos de plástico leves nunca chegou sequer perto da estimativa do Governo. Retalhistas mudaram gramagem dos sacos, escapando à tributação.
Comentários