Alojamento e microempresas representaram 3% do volume de negócios em 2017

No último ano, o setor do alojamento, restauração e similares representou 10% das empresas em Portugal (42 mil empresas) e 9% das pessoas ao serviço (255 mil pessoas), de acordo com uma nota divulgada pelo Banco de Portugal (BdP).

Stefano Rellandini/Reuters

No ano de 2017 o setor do alojamento, restauração e similares representaram 3% do volume de negócios (12 mil milhões de euros), segundo uma nota divulgada pelo Banco de Portugal (BdP) esta sexta-feira.

Além disso este setor representavam 10% das empresas em Portugal (42 mil empresas) e 9% das pessoas ao serviço (255 mil pessoas). O número de empresas em atividade no setor aumentou 3,5% face a 2016, um crescimento superior ao registado para o total das empresas (1,7%).

Entre 2016 e 2017, o peso do setor no total das empresas aumentou 0,2 pontos percentuais, tendo em conta o número de empresas, o volume de negócios e o número de pessoas ao serviço. No último ano foram criadas 1,4 empresas neste setor por cada uma que encerrou atividade. Este valor foi superior ao observado para o total das empresas (rácio natalidade/mortalidade de 1,3 em 2017).

O crescimento do número de empresas em atividade neste setor deveu-se ao aumento do número de microempresas (rácio natalidade/mortalidade de 1,4 em 2017) e de empresas ligadas ao alojamento (rácio natalidade/mortalidade de 4,2, que compara com 1,1 na restauração e similares).

Ao nível de regiões a área metropolitana de Lisboa representava 45% do volume de negócios do setor, seguida pelas regiões do Norte e Algarve, com 20% e 13%, respetivamente. O Algarve e a Madeira foram as regiões onde o setor assumiu mais importância, ao representar 20% e 11%, respetivamente, do volume de negócios das empresas aí localizadas.

Recomendadas

Networkme recebe um milhão de euros para expandir negócio na Península Ibérica

O financiamento foi liderado pela sociedade de capital de risco Big Sur Ventures, que conta com a participação do banco espanhol Bankinter, através da Fundação Inovação Bankinter.

UNITA quer esclarecimentos do Governo sobre greve dos pilotos da TAAG

O sindicato dos pilotos da companhia aérea de bandeira de Angola convocou uma greve entre os dias 7 (amanhã) e 16 de outubro.

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.
Comentários