Altice vai assegurar fibra ótica em aldeia na Sertã sem comunicações desde 2017

Sem comunicações de rede fixa desde os incêndios de 2017, esta aldeia “vai passar agora a ter conetividade de última geração e de alto débito através de fibra ótica da Altice Portugal”, destaca a dona da operadora Meo.

A Altice vai assegurar a instalação da tecnologia de fibra ótica na pequena aldeia de Marinha de Vale do Carvalho na Sertã, revelou a empresa de telecomunicações em comunicado.

Sem comunicações de rede fixa desde os incêndios de 2017, esta aldeia “vai passar agora a ter conetividade de última geração e de alto débito através de fibra ótica da Altice Portugal”, destaca a dona da operadora Meo.

A Altice realça que “apesar das reivindicações dos cerca de 20 habitantes e das cartas enviadas pelos autarcas da Sertã à Anacom e ao operador NOS, à data prestador do Serviço Universal de Rede Fixa”, estas duas entidades responsáveis nunca responderam às missivas e solicitações, tendo deixado o problema por resolver durante dois anos”.

 

 

 

 

 

Recomendadas

TAP: Sindicato fala em adesão total à greve de tripulantes até às 08:30

“O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa, cuja operação, às primeiras horas da manhã, funcionava dentro da normalidade.

Ocean Winds vence leilão e vai desenvolver projeto eólico offshore flutuante até 2 GW na Califórnia

A Ocean Winds – um consórcio da EDP Renováveis e da francesa Engie – e o Canada Pension Plan Investment Board vão desenvolver um projeto eólico offshore ao largo da costa central da Califórnia, comunicou esta manhã a EDP à CMVM. Em causa está uma licença com direitos de gestão de 32,5 mil hectares naquela área.

EDP conclui venda da central hidroeléctrica de Mascarenhas no Brasil

Com esta transação, a EDP reduz o peso da geração convencional e, nomeadamente, da exposição hídrica no Brasil, em linha com o plano estratégico 2021-2025 apresentado ao mercado em fevereiro de 2021.
Comentários