Altos custos de bens de importação são insustentáveis, realça BNA

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA) considerou insustentável num longo prazo os altos custos de bens de importação face à falta de divisas que o país regista, comparativamente ao passado recente. José Pedro de Morais disse que o BNA tem vindo, no âmbito da sua política monetária cambial, a transferir recursos para setores […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA) considerou insustentável num longo prazo os altos custos de bens de importação face à falta de divisas que o país regista, comparativamente ao passado recente.

José Pedro de Morais disse que o BNA tem vindo, no âmbito da sua política monetária cambial, a transferir recursos para setores que consomem muitos recursos para outros que vão possibilitar um crescimento mais sustentado.

“Por exemplo, a nossa fatura atual de bens de importação para consumo é muito alta e é insustentável num longo prazo, porque já não temos o montante de divisas que tínhamos há uns anos atrás e nem vamos voltar a ter”, disse José Pedro de Morais, em declarações à rádio pública angolana.

O governante do banco central angolano sublinhou que chegou ao fim o ciclo marcado pela oferta pela economia angolana de “rendimentos cada vez maiores, quer para as famílias quer para as empresas”.

“Não vai haver mais um barril de petróleo a cem dólares, portanto, este ciclo terminou e não podemos pensar mais nestes termos”, afirmou.

Segundo José Pedro de Morais, o momento atual agora é para “pensar como criar, como identificar novas fontes de crescimento, na agricultura”.

“Uma agricultura sustentável, que possa aí sim, provocar a absorção de todos os recursos produtivos que nós temos na economia”, frisou.

OJE

Recomendadas

Costa contraria ideia de empobrecimento e afirma que Portugal está a crescer mais do que Alemanha, França e Espanha

Dados de Costa surgem dias depois das previsões de Outono da Comissão Europeia, cujas mais recentes previsões indicam que em 2024 a Roménia ultrapassará Portugal no ranking de desenvolvimento económico da UE.

Macau renova licenças às seis atuais operadoras de casinos no território

MGM Grand Paradise, Galaxy Casino, Venetian Macau, Melco Resorts (Macau), Wynn Resorts (Macau) e SJM Resorts viram as propostas aprovadas.

PremiumOCDE deixa quatro recados a Portugal, do PRR ao orçamento

A OCDE está menos otimista do que estava no verão quanto à evolução da economia portuguesa no próximo ano, tendo revisto em baixa a previsão de crescimento do PIB. Aproveitou também para alertar para a importância do PRR e da consolidação orçamental.