Ameaças de malware aumentam mais de 40% em 2018

O número e a variedade dos novos ficheiros maliciosos revelaram-se um forte indicador dos interesses dos hackers envolvidos na criação e distribuição de malware.

Em 2018, as ameaças de ransomware e de backdoor detetadas representaram entre 3,5% e 3,7% de todos os ficheiros maliciosos capturados nos primeiros dez meses do ano. Estes resultados registam um aumento de 43% na categoria de ransomware e 44% na de backdoors, em comparação com o período anterior.

A Kaspersky Lab refere que o número e a variedade destes novos ficheiros maliciosos, que foram detectados diariamente, revelaram-se um forte indicador dos interesses dos hackers envolvidos na criação e distribuição de malware. Para maior protecção, a empresa recomenda a estar sempre atento e não abrir ficheiros suspeitos ou anexos recebidos de fontes desconhecidas, não clicar em anúncios online que pareçam suspeitos, criar palavras-passe fortes e alterá-las regularmente, e utilizar uma solução de segurança forte e apropriada ao tipo de sistema e dispositivo.

“O interesse demonstrado em ransomware e o seu desenvolvimento contínuo é apenas um sinal para se ficar em alerta permanente – não só em relação às ciberameaças mais conhecidas mas também em relação às novas, que ainda são desconhecidas. É por este motivo que continuamos a melhorar diariamente os nossos sistemas de detecção e protecção, garantindo a segurança dos nossos clientes”, afirmou Vyacheslav Zakorzhevsky, chefe de Investigação em Anti-Malware da Kaspersky Lab.

PCGuia
Recomendadas

Robô da Tesla deve ser apresentado esta sexta e pode começar a ser produzido em 2022

O CEO da marca, Elon Musk deve apresentar um protótipo do robô que foi anunciado pelo próprio em agosto do ano passado e que poderá começar a ser produzido no próximo ano.

Prémio Social CEO escolhe Mário Ferreira como “o mais digital”

O “Prémio Social CEO” avalia a performance dos Diretores Executivos de empresas em todas as plataformas digitais. De entre os 30 nomeados, Mário Ferreira, CEO da Douro Azul, foi considerado o líder mais digital, seguindo-se Miguel Pina Martins, CEO da Science4You, e Nuno Ferreira Pires, CEO da Sport TV.

Especialistas apontam transformação digital como plano estratégico das empresas

Painel dedicado aos desafios da transformação digital das organizações abordou também a necessidade de investimento no sector tecnológico de forma a reter o talento nacional que cada vez mais abandona as empresas nacionais por questões salariais.
Comentários