Anacom aponta Meo como melhor operador no Algarve. Região com “bom desempenho”, exceto nas zonas rurais

Entre os 22 indicadores de serviço móvel, de serviço de dados e de cobertura de rádio, a Anacom atribuiu o “melhor desempenho” à Meo em 16, seguindo-se a Vodafone (13) e a NOS (9).

A Meo é o operador de telecomunicações com o melhor desempenho global na região do Algarve, de acordo com as conclusões de um estudo da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), divulgadas esta segunda-feira, 21 de dezembro.

Entre os 22 indicadores de serviço móvel, de serviço de dados e de cobertura de rádio, a Anacom atribuiu o “melhor desempenho” à Meo em 16, seguindo-se a Vodafone (13) e a NOS (9).

Em termos globais, a Anacom refere que os operadores apresentam um “bom desempenho”, sobretudo, no serviço de voz e nos serviços de dados, no Algarve. Contudo, em zonas rurais o regulador identifique a existência de dificuldades em estabelecer chamadas. As zonas rurais também apresentam desempenhos inferiores no que toca aos dados.

“O serviço de voz apresenta bom desempenho global em todos os operadores, embora nas áreas predominantemente rurais e mediamente urbanas, se observe uma degradação do desempenho, nomeadamente no que toca à capacidade de estabelecimento de chamadas”, salienta a Anacom.

“Nos serviços de dados, em transferência de ficheiros, regista-se bom desempenho global, observando-se algumas diferenças entre os operadores e entre as tipologias de áreas urbanas”, acrescenta o regulador, que é liderado por João Cadete de Matos.

“O operador Meo regista as velocidades médias de transferência de ficheiros mais elevadas, em download e em upload. Nas áreas mediamente urbanas e predominantemente rurais observam-se as velocidades médias de transferência de ficheiros mais baixas, tanto em download como em upload. Observa-se ainda uma variabilidade muito elevada deste indicador, registando-se valores máximos da ordem de 209 Mbps e 63 Mbps e mínimos de 0,008 Mbps e 0,015 Mbps, respetivamente em download e upload“, resume a Anacom.

Acresce que os “serviços de navegação na internet e youtube video streaming, e também a latência de transmissão de dados, apresentam desempenhos inferiores, face à transferência de ficheiros, observando-se também algumas diferenças entre operadores e tipologias de áreas urbanas. De uma forma geral, registam-se piores desempenhos nas áreas mediamente urbanas e predominantemente rurais”, lê-se.

As conclusões da Anacom referem-se ao quarto estudo regional de avaliação do desempenho de serviços móveis de voz e dados e da cobertura 2G, 3G e 4G, disponibilizados pela Meo , NOS e Vodafone. Os primeiros três estudos abrangeram as regiões do Alentejo, do Norte e da Grande Lisboa,

O estudo realizado no Algarve abarcou 16 municípios e cerca de 438.406 habitantes.

Relacionadas

Anacom. Rede móvel da Vodafone tem “o melhor desempenho” na Grande Lisboa

Entre os 22 indicadores de serviço móvel, de serviço de dados e de cobertura de rádio, a Anacom atribuiu o “melhor desempenho” à Vodafone em 17, seguindo-se a NOS (16) e a Meo (12).

Estudo da Anacom indica rede da Vodafone como a melhor no Alentejo

O estudo da Anacom, que também considerou o desempenho das chamadas de voz e da utilização de dados móveis no Alentejo, foi realizado em maio de 2019, entre os dias 7 e 28, nos distritos de Portalegre, Évora e Beja, bem como em parte dos distritos de Santarém e Setúbal, num total de 58 municípios (correspondente a 34% da superfície do país).

Comunicações do Norte à lupa. Sucesso das chamadas é de 96% em três operadoras, avalia Anacom

A Vodafone apresentou os melhores desempenhos em ‘download’ nesta região, com ritmos médios de 46,53 Megabits. A NOS ganhou na duração de transferências de páginas web, com uma média de 6,5 segundos, concluiu o regulador.
Recomendadas

Lucros do Banco de Fomento sobem 135% para 22,9 milhões de euros em 2021

“Este aumento explica-se, essencialmente, pelo crescimento do produto bancário que passou de 31,89 milhões de euros, em 2020 para 44,69 milhões de euros no ano em análise”, ou seja, subiu 40%.

Governos podem precisar de taxar empresas de energia para ajudar os mais pobres, diz CEO da Shell

O presidente executivo da Shell considera que o mais importante é “proteger os mais pobres” e como tal os governos podem vir a precisar de taxar empresas de energia. “Há uma discussão a ser feita sobre isso, mas acho que é inevitável” a necessidade de intervenção, considerou.
Deloitte

Confiança das empresas na política fiscal do Governo desceu para mínimos de 2014, revela Deloitte

O estudo da Deloitte conclui “que uma maioria crescente dos empresários portugueses consideram o sistema fiscal complexo e ineficaz”. Sobre a competitividade e atratividade da economia portuguesa, os inquiridos elegem, como áreas de mudança mais importantes para a captação de investimento, a legislação laboral (48%) e a simplificação da burocracia em geral (47%).
Comentários