Anacom avança com processos contra operadoras por subirem preços em avisar

As operadoras NOS, Meo, Vodafone e Nowo arriscam coimas de até um milhão de euros e a Deco equaciona avançar também com uma ação coletiva.

A Autoridade Nacional de Comunicações vai processar os operadores de telecomunicações que subiram preços sem avisar os clientes, noticia o Diário de Notícias (DN) esta terça-feira. A Anacom vai mesmo avançar com processos de contraordenação aos operadores que aumentaram os preços das telecomunicações aos consumidores sem os informar de que podiam rescindir o contrato.

As operadoras NOS, Meo, Vodafone e Nowo arriscam coimas de até um milhão de euros e a Deco equaciona avançar também com uma ação coletiva que obrigue os operadores a reembolsar os montantes cobrados indevidamente, que estimam chegar aos 50 milhões de euros.

Ao DN, fonte oficial da Anacom confirmou que “já foram instaurados processos de contraordenação. Está a ser preparada a instrução dos processos aos operadores abrangidos pelas medidas corretivas”.

O regulador das telecomunicações, emjulho, depois de ter recebido um número significativo de queixas, considerou que os operadores falharam nos seus deveres quando comunicaram aos consumidores o aumento de preço, sem os informar de que poderiam rescindir o seu contrato.

Os operadores ficaram obrigados a reverter os contratos para os valores antigos ou dar ao cliente a possibilidade de rescindir, mesmo em período de fidelização, sem custos adicionais. Foi esta última opção que acabou por ser adotada pelas empresas em agosto.

Por resolver ficou o montante cobrado pelos operadores “durante nove a dez meses”, relembrou Ana Sofia Ferreira, coordenadora do Gabinete de Apoio ao Consumidor da Deco, ao DN.

A deliberação da Anacom não refere o reembolso, pois a lei não lhe permite resolver conflitos entre os operadores e os clientes. Recuperar esses montantes está assim nas mãos dos consumidores, que, caso o operador não o faça voluntariamente, poderá recorrer a centros de arbitragem.

Relacionadas

Anacom propõe fim do contrato do serviço universal de telefone fixo

A Anacom alega que “a inexpressiva procura” não justifica a sua manutenção.

Altice quer conteúdos exclusivos para subscritores de serviços de telecomunicações

A operadora de telecomunicações quer manter a distribuição de canais de televisão generalistas e noticiosos também fora das suas plataformas, para alargar o mercado e fazer crescer o negócio.
Recomendadas

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

PremiumMenores retenções de IRS não chegam a todos em janeiro

Novas tabelas de IRS não dão aumento do rendimento disponível a todos os contribuintes a partir de janeiro. Solteiros e casados com dois filhos são os mais penalizados. Com novas regras, ganhos serão superiores a partir de julho.
Comentários