Anchorage Digital renova escritório do Porto porque “equipa em Portugal tem crescido muito”

A tecnológica liderada por Diogo Mónica, que está a comemorar cinco anos no negócio dos criptoativos, vai reabrir as portas do espaço que tem na cidade Invicta na próxima semana.

O escritório da Anchorage Digital no Porto vai reabrir na próxima semana, depois de ter passado por um processo de renovação necessário para responder ao crescimento da equipa em Portugal e conveniente para marcar os cinco anos da empresa que faz transações e custódia (proteção) de ativos digitais.

“A nossa equipa em Portugal tem crescido muito rápido. Porque continuamos a querer que as pessoas usufruam dos nossos espaços de escritório, decidimos investir em algo que corresponda às nossas necessidades e ao facto de termos pessoas em diferentes configurações, tanto presenciais como remotas”, disse fonte oficial da tecnológica luso-americana ao Jornal Económico (JE).

À data de hoje, o sétimo unicórnio com ADN português, liderado por Diogo Mónica, tem cerca de 30 vagas de emprego em aberto para este quarto trimestre quer em Portugal quer nos Estados Unidos. Questionada sobre o modelo de trabalho em vigor, a Anchorage Digital esclarece ao JE que é híbrido: “Permitimos que os funcionários trabalhem em qualquer parte dos Estados Unidos ou Portugal e temos espaços físicos de trabalho em Nova Iorque, São Francisco, Dakota do Sul e Portugal. Marcamos também presença em Singapura”.

A inauguração do escritório na Rua D. João IV (Porto) – que conta com uma zona de trabalho em open space, três salas de reuniões e uma outra área onde deverão ocorrer as reuniões globais – acontecerá a 15 de dezembro com um evento interno, que se realiza duas semanas depois do lançamento dos novos logótipo e identidade de marca da Anchorage Digital, “numa altura em que o universo cripto necessita de uma base sólida e de infraestruturas testadas e de confiança”.

“Selecionámos uma forma de âncora que se mantém fiel ao nosso nome. Também se reflete nos quatro blocos que representam os nossos princípios fundamentais: segurança líder da indústria, liderança regulamentar, custódia como fundação, e o nosso compromisso para com os clientes”, adiantou a empresa, aquando do lançamento da nova imagem, em comunicado.

“Manter os bens dos clientes em segurança é a coisa mais importante que fazemos, o que reflete a nossa aprovação enquanto banco (a nível federal), o nosso modelo de segurança e fortes controlos”, afiança a multinacional, na mesma nota divulgada aos meios de comunicação social.

Recomendadas

Dinamarquesa Eurowind Energy investe mais de 400 milhões de euros em Portugal

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou esta terça-feira o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal.

Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.
Comentários