Angola atribui gestão de Terminal Multiusos do Porto de Luanda à multinacional DP World

O Governo angolano adjudicou a concessão, por 20 anos, do Terminal Multiusos (TMU) do Porto de Luanda à multinacional DP World Limited, considerando que esta é a proposta que melhor serve o interesse público.

Segundo um comunicado de imprensa, o Ministério dos Transportes aprovou o relatório final do concurso público internacional, que havia sido lançado em dezembro de 2019, para a concessão do Terminal Multiusos do Porto de Luanda, submetido pela respetiva Comissão de Avaliação, que classificou a proposta elaborada pela concorrente DP World Ltd como a que “globalmente mais satisfaz o interesse público”.

Na proposta apresentada pela DP World Ltd, a multinacional apresenta como vantagem sobre as demais concorrentes pagamentos que ao longo do período de concessão irão totalizar um valor de pagamentos superior a 1.000 milhões de dólares (819,2 milhões de euros), dos quais 150 milhões de dólares (122,8 milhões de euros) serão pagos na data de assinatura do contrato.

Além disso, outro fator relevante desta proposta é um “valor atual (VA) de pagamentos à concedente superior a quatrocentos milhões de dólares norte-americanos (USD 440.000.000,00 [360 milhões de euros]), com referência ano de 2020”.

Outra vantagem ainda é a execução de um plano de investimentos num valor acima de 190 milhões de dólares (155,6 milhões de euros) a efetivar ao longo dos 20 anos de concessão, dos quais mais de 70% serão efetuados com recurso à incorporação nacional.

O documento refere que o plano de investimento prevê a reabilitação da infraestrutura física do cais do TMU, a realização de obras civis indispensáveis para implementar um novo plano de planta do TMU, sendo ainda uma vantagem a manutenção dos postos de trabalho do pessoal afeto ao terminal.

No relatório final, a comissão de avaliação elenca também entre as vantagens a proposta de reabilitação e aquisição de equipamentos, que permitirão a transição da operação do TMU para uma operação alicerçada em grua RTG, em linha com as melhores práticas internacionais, além da criação de uma plataforma logística externa, que deverá permitir atingir um volume de tráfego objetivo de 700.000 TEUS/ano suportado por um moderno sistema de gestão portuário.

O TMU do Porto de Luanda é uma infraestrutura portuária que se dedica à operação simultânea de carga geral e contentores. Possui um cais de 610 metros com uma profundidade de 12,5 metros, tendo uma área de 181.070 metros quadrados que lhe conferem uma capacidade para movimentação de 2,6 milhões de toneladas anuais.

Recomendadas

Conselho de Ministros moçambicano aprova criação de fundo soberano

O Conselho de Ministros moçambicano aprovou hoje a criação do fundo soberano do país, cuja capitalização deverá arrancar com as receitas deste ano da plataforma Coral Sul, que começou a exportar gás do Rovuma há duas semanas.

Ucrânia: Alemanha garante apoio ao sector energético e entrega “mais de 350 geradores”

A Alemanha vai fornecer “mais de 350 geradores” à Ucrânia, afetada pelos ataques russos contra as suas infraestruturas de energia nas últimas semanas, divulgou hoje o porta-voz do Governo alemão.

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.
Comentários