Angola. SonAir encomenda dois helicópteros AW139 para reforçar apoio à indústria energética

O contrato inclui opções para duas aeronaves adicionais. “Os AW139 serão usados ​​para realizar operações de transporte de apoio à indústria nacional de petróleo e gás e substituir helicópteros antigos, com entregas previstas no primeiro trimestre de 2023”, informa o comunicado.

A SonAir Airline Services, SA (SonAir), propriedade da petrolífera nacional angolana Sonangol, fez uma encomenda de dois helicópteros bimotores intermédios AW139 à Leonardo para reforçar operações de apoio à indústria energética, anunciou esta segunda-feira a empresa em comunicado.

“O contrato inclui um pacote abrangente de apoio ao cliente e treino, bem como opções para duas aeronaves adicionais. Os AW139 serão usados ​​para realizar operações de transporte de apoio à indústria nacional de petróleo e gás e substituir helicópteros antigos, com entregas previstas no primeiro trimestre de 2023”, informa a empresa dedicada à indústria aeroespacial, defesa e segurança.

A nota destaca que o mercado de energia angolano, em específico, e africano, em geral, está a mostrar um potencial significativo para os modelos de helicópteros de última geração da Leonardo.

“Com mais de 200 unidades, a frota de helicópteros compreende tipos de vários equipamento original dos fabricantes que apoiam a indústria de energia na África, que é uma das maiores do mundo. Nos últimos oito anos, a Leonardo foi o único fabricante capaz de expandir a sua presença no mercado offshore africano, quase duplicando o número de aeronaves graças à gama de modelos da Família AW (o AW139, AW189 e, mais recentemente, o AW169) que proporcionam maior versatilidade e desempenho e padrões de segurança mais elevados. Com mais de 60% da frota de helicópteros offshore existente ainda composta por design antigos, os helicópteros de última geração da Leonardo estão bem posicionados para atender aos programas de substituição e modernização da frota entre os operadores da região”, lê-se na nota.

Referindo-se em concreto ao modelo vendido à Sonangol, a Leonardo informa que faz parte do programa de helicópteros mais importante do mundo desde a sua certificação em 2004 e que é o tipo mais vendido na sua categoria. “O AW139 registou mais de 1.250 pedidos de unidades de mais de 290 clientes em mais de 80 países, registando mais de 3,3 milhões de horas de voo até ao momento, e é a plataforma de referência no sector de energia hoje. O AW139 oferece recursos, tecnologia e segurança excecionais para atender aos requisitos dos operadores para tarefas em condições adversas para maximizar a eficácia”, indica.

Com tecnologia de última geração com sistemas avançados de navegação e prevenção de colisões para melhorar a consciência situacional e reduzir a carga de trabalho dos pilotos, “velocidade incomparável, margens de potência e desempenho geral”, o modelo tem ainda “a cabine mais ampla na sua categoria com alta modularidade para reconfiguração rápida, um exclusiva caixa de engrenagens principal com capacidade de funcionamento a seco de 60+ min para maior confiabilidade e segurança e até mil kits certificados”, finaliza.

Recomendadas

PremiumGestores bancários sem tarimba a gerir períodos inflacionários

Estudo sobre o sector bancário europeu feito pela consultora estratégica Oliver Wyman considera que as instituições financeiras podem não estar preparadas para os impactos do aumento da inflação e do abrandamento da economia na atividade.

Alojamento local em expansão no Douro ajuda a diversificar oferta turística

O alojamento local no Douro está em expansão e contribui para a diversificação da oferta turística neste território, existindo atualmente 714 unidades em atividade.

TAP nega acusação do sindicato dos pilotos e diz que gasta menos com alugueres face a 2018 e 2019

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) acusou, esta quarta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” ao longo do ano, como a contratação externa de serviços.
Comentários