António Costa deseja que extradição de Rendeiro “seja rápida” e mostra confiança nas instituições nacionais

António Costa indicou que a detenção de Rendeiro “é um sinal de que podemos confiar nas instituições e temos de deixar funcionar as instituições”.

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, desejar que a extradição de João Rendeiro “seja rápida”, tal como “toda a gente”. Simultaneamente, António Costa felicitou a Polícia Judiciário “pelo trabalho desenvolvido” que levou à detenção de João Rendeiro em África do Sul.

António Costa indicou que a detenção de Rendeiro “é um sinal de que podemos confiar nas instituições e temos de deixar funcionar as instituições”. Relembrar que o ex-administrador do Banco Privado Português admitiu não voltar a Portugal no passado dia 28 de setembro.

Ainda assim, e na saída do encontro da Associação Nacional de Municípios Portugueses, António Costa lembrou que a África do Sul tem a sua própria legislação, e que Portugal tem de respeitar os seus tempos.

“O que competia ao Estado português fazer foi feito, para garantir a execução das decisões judiciais. Agora temos de respeitar e aguardar que as instituições da África do Sul façam o seu trabalho”, disse o primeiro-ministro em Aveiro.

António Costa fez questão de referir que a detenção de João Rendeiro mostrou que “ninguém está acima da lei”, voltando a enaltecer o trabalho da PJ ao longo dos últimos meses.

Também a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, fez questão de enaltecer o trabalho da PJ. “A PJ mostrou uma grande proficiência cumprindo exemplarmente a sua missão”, disse Van Dunem, recusando comentar o processo judicial que se segue.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários