ANTRAM preocupada com novo adicional do IMI

Argumentos da ANTRAM foram bem recebidos, resultando numa proposta de alteração à proposta de OE para 2017.

A Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) apresentou hoje as suas preocupações relativas à proposta do Orçamento de Estado para 2017, de acordo com comunicado remetido por esta associação.

O foco da conversa entre o Governo e a associação foi o novo adicional do IMI e as alterações legislativas que afetam o setor.

De acordo com informação divulgada pela associação, “os argumentos da ANTRAM foram bem recebidos, resultando numa proposta de alteração à proposta de OE para 2017”. Desta forma, ficam assim excluídos do novo adicional do IMI os prédios urbanos classificados como comerciais, industriais ou para serviços.

A anterior proposta previa um novo adicional do imposto em 0,3% nos imóveis com valor superior a 600 mil euros, no entanto nada referia quanto ao setor dos serviços, particularmente relativo às empresas do setor do transporte rodoviário de mercadorias.

Uma lacuna que não tinha em conta o facto das empresas de transporte serem detentoras de frotas de veículos pesados, que requerem parqueamento, existindo a necessidade de investimento em imóveis para a garantia de lugares privados de parqueamento.

Recomendadas

OE2022. Pagamentos em atraso sobem para 778,1 milhões até agosto

Os pagamentos em atraso das entidades públicas atingiram os 778,1 milhões de euros em agosto, um aumento em 157,6 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

OE2022. Receita fiscal do Estado aumenta 22,8% até agosto para 33,5 mil milhões

A receita fiscal do Estado aumentou 22,8% até agosto face ao mesmo período do ano passado, totalizando 33.511,5 milhões de euros, segundo a Síntese da Execução Orçamental divulgada esta segunda-feira.

OE2022. Resposta à Covid-19 custou ao Estado 2.835,2 milhões até agosto

A resposta à covid-19 custou 2.835,2 milhões de euros até agosto, devido à perda de receita em 464,5 milhões de euros e ao aumento da despesa em 2.370,7 milhões, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Comentários