Após críticas, TotalEnergies retira participação que detinha na gigante russa de energia Novatek

A TotalEnergies retirará os seus dois representantes do Conselho de Administração da Novatek “com efeito imediato” e não incluirá mais as receitas do seu investimento na Novatek nos seus relatórios financeiros. A decisão também afetará as reservas provadas da TotalEnergies, reduzindo-as em 1,7 mil milhões de barris.

A TotalEnergies retirará “gradualmente” sua participação de 19,4% da gigante russa de energia Novatek, anunciou a empresa na sexta-feira. A medida conduzirá a um prejuízo de aproximadamente 3,7 mil milhões de dólares nas contas do quarto trimestre deste ano.

A TotalEnergies retirará os seus dois representantes do Conselho de Administração da Novatek “com efeito imediato” e não incluirá mais as receitas do seu investimento na Novatek nos seus relatórios financeiros.

“Perante as sanções europeias em vigor desde o início da guerra, os dois administradores” abstiveram-se de votar nas reuniões do conselho em causa, nomeadamente sobre questões financeiras. “Portanto, eles não estão mais em condições de desempenhar plenamente as suas funções no conselho, o que pode se tornar um problema para a gestão empresarial”, esclarece.

A decisão também afetará as reservas provadas da TotalEnergies, reduzindo-as em 1,7 mil milhões de barris. ” No entanto, a vida útil das reservas provadas da Companhia permanecerá acima de 11 anos de produção”.

A empresa mantém uma participação nos projetos Yamal LNG e Arctic LNG 2 da Rússia, destaca o “Politico”, que recorda que, no mês passado, o CEO da empresa, Patrick Pouyanné, disse que a “única motivação” da TotalEnergies em manter os seus ativos russos era “trazer [gás natural liquefeito] para a Europa”. A empresa tem sido alvo de fortes críticas desde o início da invasão da Ucrânia.

Recomendadas

Reditus volta a adiar a apresentação dos resultados de 2021

A empresa estima que “a publicação dos seus documentos de prestação de contas individuais e consolidadas de 2021 seja concretizada até ao dia 24 de fevereiro de 2023”.

Dinamarquesa Eurowind Energy investe mais de 400 milhões de euros em Portugal

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou esta terça-feira o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal.

Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.
Comentários