Aquecimento global: 50 anos para a terceira extinção animal em massa?

Quem defende a ideia é o biólogo John Wiens. O professor universitário acredita também que a eleição de Donald Trump é um desastre para o planeta.

A fauna e a flora mundial não estão a conseguir fazer face ao aquecimento global, pelo que, no espaço de 50 anos, pode ocorrer a terceira extinção animal em massa na História do planeta Terra.

Numa investigação publicada no “PLOS Biology”, o biólogo John Wiens descobriu que 47% de quase mil espécies sofreram extinções locais associadas às mudanças climáticas. O cientista examinou documentos académicos sobre 976 espécies diferentes de todo o mundo.

“Em praticamente metade das espécies examinadas já houve extinções locais”, afirmou, em declarações citadas pelo “The Independent”. Neste trabalho, John Wiens analisou 716 tipos diferentes de animais e 260 de plantas na Ásia, na Europa, na América do Norte e do Sul, entre outros locais. As conclusões mostraram que houve extinções locais entre 47,1% das espécies.

“O que se mostra é que as espécies não podem de forma tão rápida a conseguirem lidar com uma pequena mudança climática. É esta a grande complicação – mesmo uma pequena mudança na temperatura e eles não lhe conseguem fazer frente”, explica o autor da obra The ecology of bird communities.

Recomendadas

Ucrânia. EUA anunciam novo pacote de 627,3 milhões de euros em ajuda militar a Kiev

O presidente norte-americano, Joe Biden, informou hoje o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, da concessão de um novo pacote de ajuda militar de 625 milhões de dólares (627,3 milhões de euros).

Governo acompanha caso de portuguesa encontrada morta em França

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português anunciou hoje que os consulados gerais de Estrasburgo e do Luxemburgo estão a acompanhar “com especial atenção” o caso de uma portuguesa encontrada morta em França.

Japão, EUA e NATO condenam disparo de míssil norte-coreano

Estados Unidos, Japão e NATO condenaram hoje o disparo pela Coreia do Norte de um míssil balístico sobre o Japão, comprometendo-se a coordenar uma resposta multilateral à provocação do regime do presidente Kim Jong-un.
Comentários