Arábia Saudita declara guerra a brinquedos com as cores do arco-íris por considerar que promovem a homossexualidade

Um relatório da “Al-Ekhbariya” revela que funcionários do Ministério do Comércio ordenaram que uma série de artigos de lojas na capital Riade foram retirados.

3 – Riyadh

As autoridades da Arábia Saudita têm vindo a apreender brinquedos e vestuário infantil com as cores do arco-íris, por considerarem que encorajam à homossexualidade, de acordo com a estação televisiva estatal, citarda pela “BBC”.

Um relatório da “Al-Ekhbariya” revela que funcionários do Ministério do Comércio ordenaram que uma série de artigos de lojas na capital Riade foram retirados.

Entre os artigos apreendidos estão ganchos de cabelo, pop-its, t-shirts, chapéus e estojos de lápis.

De acordo com um dos funcionários, os produtos “contradizem a fé islâmica e a moral pública, e promovem cores homossexuais dirigidas à geração mais jovem”.

No Twitter, o Ministério do Comércio fez saber que as suas equipas estavam a confiscar “produtos que contêm símbolos e sinais que apelam ao desvio e contradizem o senso comum”.

As lojas que continuarem a vender os artigos incorrem em sanções legais.

Recomendadas

Avalanche em Itália mata pelo menos sete pessoas. Draghi culpa as alterações climáticas

A região tem registado temperaturas excecionalmente altas nos últimos dias. “O calor é incomum”, disse o porta-voz do serviço de resgate, Walter Milan, observando que os termómetros atingiram 10°C no pico da montanha nos últimos dias.

Ucrânia precisa de 750 mil milhões de dólares para plano de recuperação

“Hoje, as perdas diretas de infraestrutura da Ucrânia chegam a mais de cem mil milhões de dólares. Quem vai pagar pelo plano de renovação, que já está a ser avaliado em 750 mil milhões?”, questionou o primeiro-ministro do país, Denys Shmygal.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira, 4 de julho

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários