Argélia cancela juros da dívida de Cuba e oferece central solar

O presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, cancelou hoje todos os juros pendentes da dívida de Cuba, para aliviar o impacto económico sofrido após a pandemia, e ofereceu uma central de energia solar para aliviar os contínuos apagões. 

Taxa de Imposto: 72,7%

“A Argélia vai oferecer à irmã Cuba uma central de energia fotovoltaica, além de restabelecer o fornecimento de hidrocarbonetos para que Cuba possa reativar as centrais elétricas e combater os atuais cortes de energia”, declarou Tebboune numa conferência de imprensa conjunta com o homólogo cubano, Miguel Díaz-Canel.

Diaz-Canel está na Argélia desde a noite de quarta-feira, onde permanecerá até sábado, primeira etapa de uma digressão que o levará também à Turquia, Rússia e China.

Na conferência de imprensa, o Presidente argelino, que não adiantou qual o montante cancelado dos juros da dívida, destacou que a iniciativa visa “refinanciar” o país caribenho para garantir energia e a reativação de vários projetos nas áreas de ensino superior, comércio e saúde.

Nesse sentido, os dois países assinaram hoje um acordo para a criação de parcerias vocacionadas sobretudo para a indústria farmacêutica, nomeadamente na distribuição de vacinas que Cuba tem enviado para combater as principais doenças que assolam o continente africano.

Por seu lado, o Presidente cubano agradeceu o gesto de Tebboune, com quem mantém uma relação “de solidariedade e apoio mútuo em tempos difíceis”, lembrando que cerca de 800 profissionais médicos estão a apoiar a área da saúde na Argélia.

No início de 2023, será realizada na capital cubana uma reunião bilateral de alto nível, em que se espera a participação de 150 empresários argelinos.

Diaz-Canel lidera uma delegação que integra os vice-primeiros-ministros Ricardo Cabrisas e Alejandro Gil, e os ministros dos Negócios Estrangeiros, do Comércio Externo e Investimento Estrangeiro, da Energia e Minas e da Saúde Pública.

Argel e Havana mantêm sólidos laços de cooperação, políticos e económicos desde que a Argélia acedeu á independência, em 1962, sobretudo devido a participação de ambos os países no Movimento dos Não Alinhados.

Os laços foram reforçados em fevereiro de 2021, com a criação de um grupo parlamentar de amizade.

A colaboração é vasta em setores como o energético, construção, educação, cultura e desporto, e especialmente aprofundada no domínio da saúde.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.
Comentários