Arrenda na Hora quer ter 25 lojas

A rede nacional de mediação imobiliária Arrenda na Hora quer chegar às 25 lojas até final do ano. A próxima abertura acontecerá nas Laranjeiras. A mediadora especializou-se em arrendamento, oferecendo outras soluções para além do arrendamento tradicional empresarial e universitário, ainda a gestão de arrendamento, o arrendamento turístico, a compra e venda e outras serviços […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A rede nacional de mediação imobiliária Arrenda na Hora quer chegar às 25 lojas até final do ano. A próxima abertura acontecerá nas Laranjeiras.

A mediadora especializou-se em arrendamento, oferecendo outras soluções para além do arrendamento tradicional empresarial e universitário, ainda a gestão de arrendamento, o arrendamento turístico, a compra e venda e outras serviços associados.

A empresa salienta o crescimento do setor imobiliário, com a procura a dirigir-se preferencialmente para a compra e venda (55,2%), enquanto o arrendamento é responsável por 42,5% das pesquisas. A rede conta com cinco mil clientes em carteira, refere o administrador do grupo, António Marques.

OJE

Recomendadas

AdC acusa Cabelte, Quintas e Quintas e Solidal de cartel em contratação pública lançada pela REN

AdC acusa as empresas fornecedoras de cabos de Muito Alta Tensão de acordo anticoncorrencial em procedimentos de contratação pública, num concurso lançado pela REN.

Ibersol com lucros de 14,6 milhões de euros até setembro

A Ibersol registou nos primeiros nove meses deste ano lucros consolidados de 14,6 milhões de euros, que comparam com prejuízos de mais de 20 milhões de euros no período homólogo.

Greve na CP e IP suprimiu 701 comboios até às 18h00

A greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) levou à supressão de 701 comboios da CP entre as 00h00 e as 18h00.