As reações dos líderes mundiais à morte de Fidel

A morte de Fidel Castro gerou um conjunto de diversas reações por parte dos líderes políticos e personalidades de todo o mundo, nas redes sociais.

Cuba’s President Raul Castro announces the death of his brother, revolutionary leader Fidel Castro, in a still image from government television in Havana, Cuba November 26, 2016. Cuban Television via Reuters TV EDITORIAL USE ONLY. THIS IMAGE HAS BEEN SUPPLIED BY A THIRD PARTY. IT IS DISTRIBUTED, EXACTLY AS RECEIVED BY REUTERS, AS A SERVICE TO CLIENTS

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, afirmou que “os revolucionários do mundo têm que continuar o seu legado”, acrescentando que “Fidel partiu rumo à Imortalidade dos que lutam toda a vida”.

Vladimir Putin, presidente russo, sublinhou que a morte de Fidel significa “o fim de uma era” e elogiou o líder cubano como “um exemplo inspirador para muitos países”.

“Fidel Castro era um amigo verdadeiro e leal da Rússia. Ele investiu pessoalmente no estabelecimento e desenvolvimento das relações entre Cuba e a Rússia.”, referiu o presidente russo, Vladimir Putin, sublinhado que a morte do líder cubano significa “o fim de uma era”.

Mariano Rajoy, presidente do governo espanhol, lamentou a morte de Fidel Castro, “uma figura de importância histórica”.

“Fidel Castro foi uma figura do século XX. Encarnou a revolução cubana, tanto nas esperanças que despertou como depois nas desilusões que provocou”, lamentou o presidente François Hollande, sublinhando que o líder cubano representou, para os cubanos, “o orgulho da rejeição do domínio externo”.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, também lastimou a sua partida. “Fidel Castro foi um amigo do México, promotor de uma relação bilateral baseada no respeito, no diálogo e na solidariedade”, referiu, numa segunda referência no Twitter, o presidente mexicano.

Rafael Correa, presidente do Equador, escreveu na mesma rede social que morreu “um dos grandes”.

O governo de El Salvador expressou a sua “gratidão eterna” e sublinhou que o “exemplo” de Fidel “viverá para sempre nas nossas lutas e florescerá nas nobres ideias das novas gerações”.

O governo de El Salvador exprimiu a sua “gratitude eterna” e sublinhou que o “exemplo” do líder “viverá para sempre nas nossas lutas e florescerá nas nobres ideias das novas gerações”.

Já Narendra Modi, primeiro-ministro indiano, lamentou a morte de “um grande amigo”.

Recomendadas

Milhares de pessoas correm em Caracas em ação promovida pela UE sobre violência contra as mulheres

A iniciativa, que conta com uma corrida de 10 quilómetros e uma caminhada de cinco quilómetros, proporcionou uma “festa” pelas ruas da capital da Venezuela, com o principal objetivo de sensibilizar a população para que não permita “nem um único ato de violência” contra as mulheres, explicou o chefe de missão da delegação da UE, Rafael Dochao Moreno, em declarações à agência Efe.

Mundial2022: Federação do Irão acusa a dos EUA de suprir símbolo de Alá

“Num ato não profissional, a página do Instagram da Associação Americana de Futebol removeu o símbolo de Alá da bandeira iraniana”, denunciou agência de notícias oficial Irna, que revelou o facto da federação iraniana ter enviado um email à FIFA “para exigir que envie um aviso sério” à sua congénere.

Governo francês de Macron prioriza apoio às classes médias trabalhadoras

“Vamos concentrar mais as nossas ajudas para os franceses que trabalham e que se levantam cedo”, declarou o ministro de Ação e Contas Públicas, Gabriel Attal, que insistiu que se deve “agir para favorecer o trabalho” na França.
Comentários