“Seeds for the Future”: As sementes estão lançadas

Os vencedores do programa receberam formação na sede da Huawei, na China, e conheceram o universo G5.

“Tudo o que aprendi durante estas duas semanas será útil no meu futuro. Mas, mais importante do que os componentes teóricos, foram as ligações e contactos criados, pois partilhámos a experiência com outros estudantes”. João Valente, aluno do 5º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), foi um dos vencedores do programa “Seeds for the Future”, que teve a oportunidade de conhecer a chinesa Huawei.

Estudantes de Engenharia Eletrotécnica e de Comunicações e Informática de cinco instituições – Instituto Superior Técnico (IST), Universidades de Aveiro e de Évora, UTAD e Politécnico de Leiria – estiveram em Shenzhen e Pequim. “Foi uma experiência única. Aprendemos não só a parte teórica por trás dessas tecnologias, mas também a parte prática, em que configurámos uma rede 4G e 5G”, realça João Valente.

Na opinião de Sofia Patrício, aluna do 4º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores do IST, esta viagem permitiu-lhe desenvolver softskills que serão essenciais para resto da vida. “Hoje, sinto-me mais capaz de mostrar o meu potencial e deixar a minha marca no mundo”, sublinha.

A cooperação entre a gigante tecnológica e Portugal teve início em 2014, aquando da visita oficial à China do então Presidente da República Cavaco Silva. Nessa ocasião foi assinado o Memorando de Entendimento com a AICEP, que instituiu o “Seeds for the Future”.

Recomendadas

IPLeiria: estudantes com necessidades específicas aumentam 60% em três anos

No ano letivo 2021/22 estudavam no Politécnico de Leiria, 111 alunos ao abrigo do estatuto de estudantes com necessidades específicas.

Investigadores do Politécnico de Leiria estudam produção sustentável de papaias em aquaponia

O estudo tem uma duração de cerca de 12 meses e pretende comparar as características morfológicas e de crescimento das plantas, sob o efeito de dois substratos: leca versus tijolo triturado.

Premium“Os nossos alunos não têm ‘apenas’ emprego, têm escolhas”

O ISEL cobre todas as áreas da Engenharia no ensino e investigação. Segundo o seu presidente, José Nascimento, Portugal tem de ultrapassar o preconceito do ensino politécnico e investir mais na atratividade salarial.
Comentários