ASAE apreende 27 toneladas de alimentos com datas ultrapassadas na região Norte

A ASAE apreendeu, na região Norte, 27 toneladas de produtos alimentares em entrepostos de frio, cujas datas de durabilidade mínima tinham sido ultrapassadas ou tinham datas-limite de consumo, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a ASAE refere que a ação resultou de uma operação de fiscalização, realizada nas últimas semanas através da Unidade Regional do Norte – Unidade Operacional do Porto, direcionada a operadores económicos de prestação de serviços de logística de frio, na cadeia de abastecimento de produtos alimentares sob temperatura controlada.

No decorrer da ação, a autoridade apreendeu 27 toneladas de produtos alimentares de origem animal e vegetal, “em virtude de terem sido ultrapassadas as datas de durabilidade mínima ou datas-limite de consumo”.

Depois de realizados exames periciais pela ASAE, os produtos alimentares foram considerados como “anormais avariados” por se encontrarem “deteriorados ou com modificações de natureza e qualidade resultantes do frio e da má conservação, tenso sido encaminhados para destruição, por falta de requisitos, para Unidade de Transformação de Subprodutos aprovada”.

Da ação resultou ainda a instauração de um processo-crime pela prática de infrações de natureza criminal de géneros alimentícios “anormais avariados”, tendo o valor da apreensão ascendido aos 35 mil euros.

A ação contou com a colaboração da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN).

“A ASAE continuará a desenvolver ações de fiscalização, no âmbito das suas competências, em todo o território nacional, em prol de uma sã e leal concorrência entre operadores económicos, na salvaguarda da segurança alimentar e saúde pública dos consumidores”, acrescenta.

Recomendadas

Confederações agrícolas unem-se contra extinção das direções regionais do sector

Em comunicado conjunto enviado esta quarta-feira às redações, AJAP, CAP, CNA e Confagri referem que o entendimento “unânime” é de que a decisão é “altamente lesiva” para o sector agrícola. No documento, apela-se a que o Governo volte atrás na decisão, de forma imediata e inequívoca.

“Apoio ao rendimento dependerá de produção sustentável”, diz ministra da Agricultura

A ministra da Agricultura e da Alimentação considera que a reforma da Política Agrícola Comum vai valorizar a pequena e média agricultura, de proximidade e circuitos curtos, apostando em simultâneo no reforço da competitividade.

Escola Agrária de Elvas ensina agricultura sustentável há 22 anos

Muito antes das orientações estratégicas da ONU ou de Bruxelas, já o Politécnico de Portalegre, oferecia um mestrado em agricultura sustentável. O tema, um dos grandes desafios da humanidade, impulsiona ofertas no ISA e no IPLeiria.
Comentários