Assembleia Geral do BPI aprova venda de 2% do BFA à Unitel

A operação, que segundo o BCE deverá resolver o problema da exposição aos grandes riscos de Angola, foi aprovada por 83,23% dos votos expressos na reunião magna do BPI no Porto.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

A Assembleia Geral de accionistas do BPI aprovou a venda de 2% do capital do Banco de Fomento Angola à Unitel, disse o banco português.

Em comunicado divulgado no site da CMVM, o BPI recordou que a Assembleia Geral realizada no passado dia 23 de Novembro aprovou a suspensão dos seus trabalhos e o seu recomeço hoje.

“Na sequência da referida deliberação realizou-se hoje no Porto a nova sessão da Assembleia Geral, na qual estiveram presentes ou representados 223 Accionistas, detentores de acções correspondentes a 84.15% do capital social,” referiu.

Adiantou que “a Assembleia Geral assim constituída aprovou, nos termos do disposto na alínea b) do nº 4 do artigo 182º do Código dos Valores Mobiliários, por 83.23% dos votos expressos, a proposta do Conselho de Administração de venda pelo Banco BPI à Unitel, S.A. de 26 111 (vinte e seis mil, cento e onze) acções, representativas, no seu conjunto, de 2% do capital social do Banco de Fomento Angola, S.A., nos termos previstos no contrato de compra e venda celebrado entre aquelas duas entidades”.

O BPI já tinha comunicado hoje que o Banco Central Europeu não se vai opôr à venda, uma operação de alienação que deverá finalmente resolver o problema do banco português à exposição aos grandes riscos de Angola. O banco liderado por Fernando Ulrich também anunciou hoje que o Banco Nacional de Angola autorizou o pagamento de 36,9 milhões de euros de dividendos do BFA ao BPI relativos a 2015, mas adiantou que ainda faltam os dividendos relativos a 2014, no valor de 29,2 milhões de euros.

Relacionadas

Banco central de Angola autoriza o pagamento de 36,9 milhões de dividendos do BFA ao BPI

Este montante refere-se a 2015. Mas ainda faltam os dividendos do BFA de 2014, que são no montante de 29,2 milhões de euros. Tudo a postos para a Assembleia Geral que vai votar a venda dos 2% do BFA à empresa de Isabel dos Santos.

BCE: venda de 2% do BFA resolve problema do BPI da exposição a Angola

O BPI acaba de comunicar ao mercado que o BCE considera que a venda do controlo do banco angolano resolve problema da exposição a Angola do BPI.

OPA do CaixaBank ao BPI tem autorização do Banco Nacional de Angola

A OPA do CaixaBank já pode finalmente ser registada. A autorização do BNA que faltava foi concedida. O BNA dá autorização a que CaixaBank compre indirectamente 48,1% do BFA.

Unitel pagou tranche de 30 milhões de dólares ao BPI

O Banco BPI informou agora o mercado que, em 9 de Dezembro de 2016, a Unitel pagou ao Banco BPI, junto do seu banco correspondente internacional para dólares norte-americanos, os 30 milhões de dólares que faltavam pagar pelos 49,9% do BFA vendidos em 2008.

Angola paga 12,5 milhões ao BPI com injeção de divisas na banca

As divisas disponibilizadas destinaram-se sobretudo a cobrir necessidades de operações de empresas diversas, do sector petrolífero e da indústria em geral. No caso do BPI, o objectivo é a “cobertura do reembolso do financiamento”, avança a Lusa.
Recomendadas

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Luís Laginha de Sousa quer reafirmar caminho que tem sido feito pela CMVM

As linhas de atuação da nova administração do regulador de mercados, cuja cerimónia de tomada de posse decorreu esta segunda-feira no Ministério das Finanças, não significam “qualquer rutura com o caminho” seguido até agora, garante o novo presidente da CMVM que quer reforçar a articulação entre os supervisores.

Empréstimos à habitação continuam a abrandar, segundo Banco de Portugal

No final de outubro, o montante total de empréstimos para habitação era de 100,1 mil milhões. Outros dados do Banco de Portugal dão conta que o stock de empréstimos às empresas registou um valor de 76,2 mil milhões de euros, diminuindo 480 milhões de euros em relação ao mês anterior e registando uma taxa de variação anual de 1,1% (1,4% no mês anterior).
Comentários