Associação Comercial do Porto celebra 180 anos e abre portas do Palácio da Bolsa

A Associação Comercial do Porto (ACP) comemora hoje o seu 180.º aniversário e convida toda a comunidade a visitar o edifício do Palácio da Bolsa que estará de portas abertas durante o próximo sábado. Numa aposta de “abertura”, a Associação abre as portas do edifício que lhe serve de sede, o histórico e “emblemático” Palácio […]

A Associação Comercial do Porto (ACP) comemora hoje o seu 180.º aniversário e convida toda a comunidade a visitar o edifício do Palácio da Bolsa que estará de portas abertas durante o próximo sábado.

Numa aposta de “abertura”, a Associação abre as portas do edifício que lhe serve de sede, o histórico e “emblemático” Palácio da Bolsa, que durante sábado (entre as 9h00 e as 17h30) poderá ser visitado gratuitamente.

Sob o lema “há 180 anos a defender a prosperidade e a ilustração do Porto e da Região”, a associação fundada em 1834 por Arnaldo Van Zeller assinala também o aniversário com o lançamento dos ‘sites’ renovados da ACP (www.cciporto.com) e do Palácio (www.palaciodabolsa.pt) e com uma edição especial da revista “O Tripeiro”.

Presidida por Nuno Botelho desde o final de 2013, aquela que é a mais antiga associação empresarial portuguesa reúne atualmente cerca de 1.500 empresários e empresas do Porto e do Norte “destacando-se pela forte representatividade do setor exportador e pelo significativo envolvimento de novos associados, ligados sobretudo aos setores da tecnologia e do turismo”.

A ACP é herdeira da Bolsa de Comércio do Século XIII e da Juntina, a congregação que nos finais do século XVIII reunia os negociantes do Porto para defesa dos seus interesses.

Assume como principal função “indagar as necessidades do comércio e defender os interesses e direitos dos comerciantes e promover o desenvolvimento de tudo o que, direta ou indiretamente, possa contribuir para a sua prosperidade e ilustração”.

OJE/Lusa

Recomendadas

Cinco milhões para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse que o Fundo Ambiental disponibiliza, até ao final do ano, cerca de cinco milhões de euros para ações de emergência.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

PRR: Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças (IGF) deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.