Assunção Cristas oferece soro da verdade ao primeiro-ministro para ver políticas do anterior governo

O último debate quinzenal do ano realizou-se esta quinta-feira e transformou-se num balanço do ano. À Direita, Antonio Costa recebeu do CDS-PP uns óculos para ver melhor a realidade e um soro da verdade para admitir as boas políticas do anterior governo. O primeiro-ministro prometeu um retrovisor a Assunção Cristas para ver o passado.

Assunção Cristas não deixou passar a época natalícia sem entregar um presente ao primeiro-ministro e, durante o debate quinzenal na Assembleia da República, ofereceu a Costa uma caixa com “três coisas”.

“Não me levará a mal que, aproveitando a época natalícia, lhe dê três coisas”, começou por dizer Assunção Cristas, enquanto mostrava a todos os presentes o que tinha no interior da caixa.

Um par de óculos por achar que o “primeiro-ministro às vezes vê as coisas desfocadas, precisava de ver melhor… não é tudo cor-de-rosa como imagina”, justificou.

Mais. A líder do CDS deu ainda a Costa um “soro da verdade” para “olhar bem para a avaliação objetiva das políticas do anterior governo”. E, “por fim, um pacote das propostas que o CDS apresentou este ano em temas diversos. Estão aqui e espero que possa ser uma leitura inspiradora para o novo ano”, concluiu.

Isto depois de referir que o chefe do Governo “não consegue desmentir que a economia não está como tinha prometido, que o investimento público é uma vergonha, que os serviços públicos estão desgraçadamente com uma fraquíssima qualidade, que o amor ao SNS já era e o que temos é mais dívida e mais impostos”, a líder centrista garantiu que “mal seria se não tivesse um número especial para este momento”.

Em resposta, António Costa mostrou-se “muito agradecido” e brincou. “Sempre achei que daria uma boa mãe Natal e não me enganava”, disse.

“Tenho pena de não ter vindo com um presente, mas gostaria de lhe oferecer um retrovisor, para ver bem  o passado”, respondeu o primeiro-Ministro.

 

 

Recomendadas

PSD critica Governo por “má gestão e execução” de fundos europeus

Catarina Rocha Ferreira falava no debate parlamentar sobre o Estado da União, esta quarta-feira, criticando ainda a conduta do Governo face às PME quando este “só ajudou 21%” destas empresas e é “dos países que menos gastou” nestes apoios.

Governo diz ter “bons sinais” da União Europeia face a prioridades para a economia portuguesa

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, elogiou o pacote de medidas estabelecidas ao nível europeu no âmbito da energia, nomeadamente a solução, a longo prazo, em apostar no hidrogénio verde com a criação de um banco de hidrogénio, orçamentado em três mil milhões de euros.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira, 28 de setembro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários