Ataque a Kiev é mais um exemplo da “barbárie” russa, diz Joe Biden

As declarações foram feitas durante a cimeira do G7 que começa este domingo e vai durar três dias, no sul da Alemanha. O novo ataque a Kiev “é mais [um exemplo] da barbárie” da Rússia, disse o presidente norte-americano, citado pela Reuters.

Michael Reynolds/EPA via Lusa

O presidente dos EUA, Joe Biden, condenou o novo ataque da Rússia a Kiev, a capital da Ucrânia, dizendo ser mais um exemplo da “barbárie” russa nesta invasão do território ucraniano que dura desde 24 de fevereiro.

As declarações foram feitas durante a cimeira do G7 que começa este domingo e vai durar três dias, no sul da Alemanha. “É mais [um exemplo] da sua barbárie”, disse o presidente norte-americano, citado pela Reuters.

Joe Biden disse ainda, citado pela Lusa, que o G7 e a NATO devem “permanecer juntos” contra a agressão russa da Ucrânia. O presidente russo, Vladimir Putin, esperava “que, de uma forma ou de outra, a NATO e o G7 se separassem”, mas “não o fizemos, nem o faremos”, assegurou.

O ataque de Moscovo a Kiev foi o primeiro em meses e coincide com o início do encontro entre os líderes do G7. As explosões terão ocorrido no distrito de Shevchenkivsky, onde os serviços de emergência foram resgatar e evacuar os moradores.

O Governo ucraniano apelou aos países reunidos na Baviera, Alemanha, para enviarem mais armas e aplicarem mais sanções contra a Rússia, depois de novos ataques russos.

“A cimeira do G7 deve responder com mais sanções contra a Rússia e mais armas pesadas para a Ucrânia”, insistiu o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kouleba, na rede Twitter, pedindo a “derrota do imperialismo doente russo” na sequência de um ataque que deixou pelo menos quatro pessoas feridas.

Já o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, apelou aos países membros do G7 para que mantenham o apoio económico, militar e moral à Ucrânia “pelo tempo que for necessário”.

Recomendadas

Situação em Zaporizhzhia atingiu ponto “muito alarmante”, alerta diretor da Agência Internacional de Energia Atómica

A fábrica tem estado sob o controlo das tropas de Moscovo desde março, tendo sido mantida em funcionamento desde então por funcionários ucranianos.

Aviões militares russos cruzaram zona de defesa aérea do Alaska pelo menos três vezes esta semana

O caso mais recente ocorreu entre segunda e quarta-feira, revelou o Comando de Defesa do Espaço Aéreo Norte-Americano.

Ex-chanceler alemão processa parlamento depois de perder privilégios por ligação a Putin (com áudio)

De acordo com a lei alemã, os ex-chancelers têm direito a um cargo e a pessoal financiado pelo Estado mesmo depois de terminarem o seu mandato, mas os deputados votaram pela cessão dos seus privilégios quando Schroeder se recusou a cortar laços com Putin após a invasão da Ucrânia.
Comentários