Ataque informático atinge Câmara da Figueira da Foz

Um grave ataque informático ao município da Figueira da Foz atingiu no domingo a generalidade dos serviços, disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara, Pedro Santana Lopes.

“O voto útil é inútil nas atuais circunstâncias da democracia portuguesa. Não interessa estar a votar num dos maiores partidos para ganharem, porque eles precisam é que do seu lado exista uma maioria.”

Segundo o autarca, serão preciso “alguns dias” para que o gabinete informático consiga repor a normalidade e faça o levantamento do que se terá perdido, uma vez que o ataque atingiu “alguns backups”.

“Não encerrámos os serviços, mas é impossível consultar processos e os munícipes estão a ser informados”, disse Santana Lopes, salientando que pediu aos trabalhadores para se manterem nos seus postos.

O presidente da autarquia adiantou que o município cumpre os requisitos de cibersegurança e que foram notificadas as entidades competentes e efetuada participação à Polícia Judiciária.

O ataque, de acordo com o autarca, foi iniciado no sábado e concretizado no domingo, afetando os serviços todos.

Até hoje à tarde, ainda não tinha sido reivindicado nenhum resgate por parte dos piratas informáticos.

Recomendadas

“Orçamento da Saúde para o próximo ano poderá não ser suficiente”, alerta Correia de Campos

O antigo presidente do Conselho Económico e Social destaca o aumento de 2,7% do orçamento para a Saúde para 2023 mas adverte que o mesmo não vai ser suficiente tendo em conta que não acompanha “nem a inflação, nem a manutenção do equipamento, nem o reforço salarial necessário”

Ricardo Leão: “Falta, acima de tudo, comunicação e coordenação no Governo”. Ouça o podcast “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Ouça a entrevista a Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures eleito pelo PS.

Marcelo nega estar cansado da Presidência e diz que “seria mau” encurtar mandato em contexto de crise

“Não, não estou cansado da Presidência e, pelo contrário, é mais necessário mais Presidente num momento de mais crise, como é evidente”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.
Comentários