Ataques em Sloviansk causam pelo menos seis mortos

A porta-voz para a região de Donetsk (da qual Sloviansk faz parte), Tetiana Ignatchenko, afirmou ao canal televisivo Suspilne que os ataques sofridos causaram “seis mortos e 15 feridos”, reiterando o apelo das autoridades para que os residentes abandonem aquela localidade.

Os múltiplos bombardeamentos ataques que Sloviansk, no leste da Ucrânia, sofreu hoje causaram pelo menos seis mortos e 15 feridos, afirmou fonte de autoridades locais ucranianas.

A porta-voz para a região de Donetsk (da qual Sloviansk faz parte), Tetiana Ignatchenko, afirmou ao canal televisivo Suspilne que os ataques sofridos causaram “seis mortos e 15 feridos”, reiterando o apelo das autoridades para que os residentes abandonem aquela localidade.

Sloviansk fica apenas a alguns quilómetros da linha da frente dos combates entre forças russas e ucranianas.

Já o presidente da Câmara de Sloviansk, Vadim Liakh, afirmou num vídeo publicado hoje na rede social Facebook que os ataques terão provocado “muitos mortos e feridos”, sem especificar qual o número de vítimas resultantes da ofensiva russa.

Segundo o autarca, o bombardeamento provocou também 15 fogos na cidade.

De acordo com órgãos de comunicação ucranianos, regista-se um incêndio num dos mercados da cidade, na sequência dos ataques.

A sul, a cidade de Kramatorsk, o centro administrativo da zona do Donbass controlada por Kiev, foi atingida pelo segundo dia consecutivo por mísseis Smertch (lança-rockets), de acordo com o presidente da Câmara, Oleksandr Goncharenko.

Estes ataques, que atingiram uma zona residencial e um hotel desocupado, não causaram vítimas, acrescentou.

Sloviansk e Kramatorsk são duas cidades com um elevado valor simbólico, estando sob ameaça direta do avanço das forças russas, caso se confirme a captura por Moscovo de Lysychansk, a noroeste.

Recomendadas

Covid-19: Madeira registou 4.940 casos positivos e 35 mortes

A média de internamentos ficou em 51.

Ucrânia: responsável da Amnistia Internacional em Kiev demite-se criticando organização

O representante da Amnistia Internacional anunciou a sua demissão alegando que um relatório da organização a acusar as forças armadas ucranianas de colocarem civis em perigo serviu involuntariamente de “propaganda russa”.

Portugal registou 21.302 novos casos de Covid-19 e 66 mortes na última semana

Entre 26 de julho e 5 de agosto, registou-se uma descida no número de casos positivos por Covid-19 (7.536) e morreram menos nove pessoas quando comparado com a semana anterior, revelou a DGS.
Comentários