Explosão em Nova Iorque: Polícia deteve homem de 27 anos

Uma explosão em Nova Iorque levou a polícia a evacuar o terminal da Autoridade Portuária. Quatro pessoas terão sofrido ferimentos ligeiros, enquanto o suspeito estará em estado grave.

Eduardo Munoz/Reuters

Akayed Ullah, um homem de 27 anos de ascendência bangladeshi, residente nos EUA há sete anos, foi detido em Nova Iorque depois de ter feito explodir uma bomba artesanal no terminal da Autoridade Portuária da cidade.

Até ao momento, a polícia tem conhecimento de apenas quatro feridos ligeiros. Já o suspeito estará em estado grave, devido aos ferimentos causados pela bomba que trazia consigo.

Após o incidente, a polícia evacuou o terminal da Autoridade Portuária e as ruas nas suas imediações.

Numa conferência de imprensa, o Comissário da Polícia de Nova Iorque, James O’Neill, revelou a identidade do suspeito, e adiantou que este accionou o engenho explosivo “voluntariamente”. Anteriormente, algumas informações apontavam para a possibilidade de Ullah ter disparado o engenho acidentalmente, mais cedo do que pretendia.

O antigo comissário da polícia de Nova Iorque, Bill Bratton, afirmou na MSNBC que foi informado ainda de que Ullah declarou estar a agir em nome do auto-proclamado Estado Islâmico.

O governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, afirmou que são “sempre notícias assustadoras” quando “se ouve falar de uma bomba numa estação de metro”, mas que a realidade acabou por ser menos grave. As forças de segurança e socorro, disse Cuomo, responderam “rapidamente” e “lidaram extraordinariamente bem com a situação”, ajudando a minorar a gravidade do incidente.

Estamos em Nova Iorque”, conclui Cuomo, “somos um alvo para muitos que querem afirmar contra a democracia e a liberdade, e isso faz de nós um alvo internacional”.

No mesmo sentido, o Mayor de Nova Iorque, Bill de Blasio, declarou que é sempre “perturbador” quando há uma “tentativa de ataque terrorista” no metro, mas “graças a Deus o perpetrador não atingiu os seus objectivos”. Segundo de Blasio, “a escolha de Nova Iorque tem sempre uma razão”: a cidade, diz o seu Mayor, “prova” que “uma sociedade de muitas fés e raças pode funcionar”, e “por isso os terroristas querem atacá-la”.

“Nova Iorque”, concluiu de Blasio, “é o sítio mais resiliente do mundo. Os terroristas não vão ganhar, continuaremos a ser nova-iorquinos.”

(Atualizada às 15h08)

 

Recomendadas

Pequim admite que Ómicron é menos virulenta e sugere fim de ‘zero covid’

A vice-primeira-ministra chinesa encarregue de supervisionar as políticas de prevenção epidémica reconheceu hoje que o país se encontra numa “situação nova” e que a virulência da covid-19 “está a enfraquecer”, sinalizando o fim da estratégia ‘zero casos’.

Ministro das Finanças timorense destaca vários riscos que afetam a economia

O elevado desemprego, a baixa produtividade do setor privado, a alta dependência da economia na atividade do Estado são alguns dos maiores riscos de Timor-Leste, afirmou hoje o ministro das Finanças timorense.

Um terceiro envelope com explosivos chega à base aérea espanhola de Torrejón

Um envelope semelhante aos que foram enviados na quarta-feira à embaixada da Ucrânia e à empresa Instalaza, fabricante de armas em Saragoça, chegou hoje à base aérea de Torrejón de Ardoz, perto de Madrid, reporta a EFE.
Comentários