Ativistas climáticos bloqueiam túnel do Monte Branco, que liga França e Itália

O trânsito foi hoje cortado no túnel alpino do Monte Branco, que liga França e Itália, por um protesto dos apoiantes do grupo italiano de desobediência civil Ultima Generazione e do seu equivalente francês Dernière Rénovation.

O corte do trânsito em ambos os extremos deste túnel rodoviário que liga Chamonix, na Alta Sabóia (França) a Courmayeur, no Vale de Aosta (Itália), foi o mais recente de uma série de protestos controversos que os dois grupos têm organizado para chamar a atenção para a necessidade de agir contra a crise climática.

Cidadãos preocupados com as alterações climáticas simpatizantes do grupo italiano iniciaram o seu protesto às 12h30 locais (11h30 em Lisboa), segurando uma faixa em que se lia “Ultima Generazione – Não ao Gás, Não ao Carvão” e interrompendo o trânsito durante cerca de uma hora.

A polícia teve de chamar os bombeiros para quebrar as correntes com que os manifestantes se ligaram uns aos outros, antes de os retirar à força do extremo italiano do túnel.

“Um Governo deve oferecer às novas gerações perspetivas de um futuro estável e a possibilidade de ter uma família”, defendeu Alessandro, um membro de 21 anos do grupo Ultima Generazione (UG), citado pela agência de notícias italiana ANSA.

“Em vez disso, cada vez mais pessoas da minha idade não querem ter filhos, por causa do futuro devastador a que o Governo está conscientemente a condenar-nos”, prosseguiu, acrescentando: “Isto é assustador e inaceitável”.

O ativista italiano disse ainda: “O Governo não está a proteger-nos e, por essa razão, eu continuarei a participar neste tipo de ações até que as nossas reivindicações sejam atendidas”.

O UG exige o fim imediato da reabertura de minas de carvão desativadas e o desmantelamento de novos projetos de perfuração para extração de gás em Itália.

Pretende também que o Governo tome medidas para aumentar a energia gerada por fontes renováveis no país em pelo menos 20 Giga Watts por ano.

As ações de protesto do UG têm incluído cortar o trânsito às horas de ponta em grandes cidades, perturbar pessoas que viajam em aviões privados, pintar com ‘spray’ fachadas de empresas e instituições ligadas a combustíveis fósseis e danificar importantes obras de arte.

Na quarta-feira, os manifestantes do UG atiraram tinta azul e cor-de-rosa para a entrada do histórico teatro de ópera milanês La Scala antes do início da temporada 2022-2023.

Os grupos UG e Dernière Rénovation fazem parte da rede A22 de grupos de desobediência civil relacionados com as alterações climáticas ativos em vários países, como o Just Stop Oil, no Reino Unido, o Stop Old Growth, no Canadá, e o Declare Emergency, nos Estados Unidos.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Farmácias europeias com falta de medicamentos. Antibióticos entre as maiores falhas de stock

Já são vários os países que sentem a falta de alguns medicamentos, nomeadamente de analgésicos e antibióticos.

Boris Johnson diz que Putin ameaçou Reino Unido com ataque de mísseis antes de invadir Ucrânia

O antigo primeiro-ministro britânico afirma duvidar da veracidade das ameaças de Putin, que o Kremlin se encarregou já de desmentir, e confirma ter dado garantias a Moscovo de que a Ucrânia não estaria prestes a aderir à NATO.
Comentários