Atraso na aprovação do pacote de estímulos deixa Wall Street a fechar semana no vermelho

As expectativas de um acordo ser atingido ainda esta semana acabaram defraudadas, com republicanos e democratas a não conseguirem atingir um consenso relativamente a matérias como o subsídio federal de desemprego, o apoio a pequenas e médias empresas e os pagamentos diretos a efetuar ao povo americano.

Os mercados norte-americanos encerraram a semana com perdas, em grande parte motivadas pelo impasse na aprovação do pacote de estímulos à economia do país mais afetado pela pandemia de Covid-19.

O Dow Jones liderou as perdas com uma desvalorização de 0,40%, fechando a semana nos 30.180,82 pontos. O S&P 500 perdeu 0,19% na última sessão da semana, encerrando com 3.715,27 pontos, enquanto o Nasdaq desceu 0,07% para os 12,755.64 pontos. Ainda assim, a semana foi de ganhos nos três índices.

As expectativas por um acordo de estímulo à economia dos EUA acabaram defraudadas, com os legisladores republicanos e democratas a manterem um impasse que, esperava-se, acabaria esta semana. O pacote de 900 mil milhões de dólares (734,9 mil milhões de euros) tem de ser aprovado até às 12h01 de sábado, altura em que fecha a janela definida para a definição de apoio federais à economia.

Os pontos de desentendimento entre ambos os partidos presentes no Congresso prendem-se sobretudo com o subsídio federal ao desemprego, com os pagamentos diretos a enviar aos cidadãos americanos e com o apoio às pequenas e médias empresas do país.

Também a reserva federal do Fed tem sido alvo de discussões, com os republicanos a quererem impedir o uso destes fundos, dadas as suas preocupações com a deterioração da política monetária do banco central norte-americano, enquanto que os democratas pretendem dar carta verde para a mobilização destas verbas.

O dia fica ainda marcado pela antecipação da entrada da Tesla no S&P 500, que deverá causar um volume de transações assinalável na reabertura dos mercados, na segunda-feira. Os títulos da fabricante de automóveis elétricos atingiram novos máximos esta sexta-feira, ao baterem nos 684 dólares (558,3 euros), depois de valorizarem 4%.

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários