Audi aumenta em 6,8% as vendas de setembro

O Q7 foi o Audi sensação na Europa durante o mês de setembro. Globalmente a marca dos quatro anéis aumentou vendas em 6,8%, em termos homólogos. Foram mais 170.900 veículos vendidos, refere uma nota oficial. As unidades vendidas nos continentes americanos cresceram 11,9%, enquanto na Europa o aumento foi de 8,8%. Também com as vendas […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O Q7 foi o Audi sensação na Europa durante o mês de setembro. Globalmente a marca dos quatro anéis aumentou vendas em 6,8%, em termos homólogos. Foram mais 170.900 veículos vendidos, refere uma nota oficial.

As unidades vendidas nos continentes americanos cresceram 11,9%, enquanto na Europa o aumento foi de 8,8%. Também com as vendas significativas do novo Audi Q7, a marca dos quatro anéis registou em setembro o melhor resultado de sempre em toda a sua história na Europa, com quase 80 mil unidades comercializadas. Desde o início do ano, as vendas globais da marca sedeada em Ingolstadt aumentaram 3,8% em todo o portfólio das suas gamas, para um total de cerca de 1.347.950 unidades.

“Destacando a situação difícil do mercado em importantes regiões, verificamos que o nosso desempenho de vendas no 3º trimestre de forma positiva. O nosso crescimento na Europa demonstra que os novos modelos estão a gerar um volume adicional”, destaca Luca de Meo, membro do Conselho de Administração para as Vendas e Marketing da Audi AG. Apenas em setembro, a Audi conseguiu aumentar as vendas combinadas entre o novo Audi Q7 e o novo Audi TT em cerca de 4.900 unidades, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Em meados do próximo ano, a marca pretende lançar mais 15 novos modelos ou com uma atualização na globalidade dos mercados globais. “Tal permitirá impulsionar ainda mais as nossas vendas.”

Além do Audi Q7, cujas vendas mais do que duplicaram (mais 171,0%) na Europa em setembro, todas as versões do A7 e do A8 também asseguraram um desempenho positivo. Em todos os mercados europeus representaram crescimento combinado de 14,1%. A Audi alcançou o maior crescimento absoluto europeu no Reino Unido: em setembro, mês tradicionalmente muito positivo em vendas, as entregas aumentaram 9,7%, para 28.778 unidades.

Como tal, a Audi registou o seu mês recorde pela 33ª vez consecutiva no Reino Unido, vendendo ainda mais carros do que no mercado alemão (mais 0%, total de 21.710 unidades). Desde o início do ano, as vendas da Audi no Reino Unido tiveram um incremento de 5,3%, para 133.570 unidades.

Em Itália (mais 37%, para 5.018 unidades), em França (mais 13,1%, para 4.871 unidades) e em Espanha (mais 30,2%, para 3.224 unidades), a marca aumentou as suas vendas no mês passado com expressivos dois dígitos. Durante os primeiros nove meses, a Audi entregou aos clientes europeus cerca de 612.650 veículos, o que representou um aumento de 3,8%. A forte procura pelo novo Q7 também teve um impacto nas vendas da Audi na Rússia. Aqui a marca conseguiu aumentar de novo as vendas, pela primeira vez este ano, em 2% (para 2.607 unidades).

Os mercados da Ásia-Pacífico também tiveram um desempenho positivo em setembro: na Austrália (mais 25,6%, para 2.048 unidades) e na Coreia do Sul (mais 27,3%, para 2.993 veículos) a Audi registou um elevado crescimento de dois dígitos. Na China, os números de vendas da marca os quatro anéis aumentaram 2,9%, para 53.095 unidades. Nos primeiros nove meses do ano, as vendas totalizaram 414.411 unidades, um número ligeiramente inferior ao valor do mesmo período do ano passado (menos 0,3%).

Nos continentes da América, a marca conseguiu manter o sucesso dos meses anteriores, atingindo um aumento de 11,9 por cento, com cerca de 23.200 veículos vendidos. No Brasil (mais 23,4%, para 1.501 unidades) e nos EUA (mais 16,2%, para 17.340 carros) em particular, os números foram muito interessantes. O bestseller da Audi América – o Audi Q5 – superou as suas vendas a partir do mesmo mês do ano anterior em mais de 58,9% (para 5.149 unidades). No acumulado do ano, a Audi vendeu mais 12,5% nos EUA em relação mesmo período de 2014, entregando um total de 147.403 unidades.

OJE

Recomendadas

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.

“Empresas arriscam sozinhas a entrada em mercados pela fraca dinamização e falta de apoio”

Mais de mil empresas participaram no Portugal Exportador no dia 23, orientado para a estratégia de internacionalização.

Rampa Digital dá consultoria às empresas sobre negócios no online

Associação .PT, gestora do domínio web português, quis estar perto das empresas que estão em processo de internacionalização.