Autarquias anunciam cancelamento dos festejos da passagem de ano

De Lisboa ao Porto são várias as autarquias que decidiram cancelar os festejos de ano novo devido ao número de casos da Covid-19 que tem aumentado.

O Natal está à porta e depois seguem-se os festejos da passagem de ano, mas várias autarquias já anunciaram o cancelamento dos festejo da noite de fim de ano.

Em Lisboa, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML) já mencionou, em entrevista à “CNN”, algumas restrições para a passagem de ano. “Não haverá os típicos concertos na noite de 31, porque isso criaria um grande aglomerado de pessoas, e estamos a estudar se haverá ou não o fogo de artifício”, explicou o autarca de Lisboa.

Por sua vez, no Porto, o presidente da Câmara, Rui Moreira anunciou o cancelamento de “todos os festejos de rua, inclusivamente o fogo de artifício”. “Vamos evitar a concentração nas ruas. Era nossa intenção fazer o fogo de artifício na praia, mas as circunstâncias são o que são e temos de nos ajustar”, sublinhou Rui Moreira, segundo o “Público”.

No concelho de Mira foi cancelada a festa na praia que costuma juntar milhares de pessoas. A juntar-se ao cessamento das festas das autarquias surgiu Braga. Em entrevista ao “Observador” Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, assegurou que este ano existira um “conjunto de festividades muito alargada no Natal”, mas admitiu que iria prescindir “das festividades de ano novo”.

Na Nazaré também foram cancelados os festejos da noite de fim de ano. “Foi, no entender da autarquia [da Nazaré], a mais sensata decisão, uma vez que o município não conseguirá controlar os grandes aglomerados, bem como, a obrigação de apresentação dos testes negativos”, apontou uma resolução comunicada pela Câmara local.

Loulé acompanha os restantes cancelamentos e estende também às festas de Natal. “Face à evolução da situação pandémica no município, a Câmara Municipal de Loulé vai cancelar as iniciativas programadas para os próximos dias no âmbito da animação de Natal”, explicam em comunicado na página da autarquia.

A lista continua, em Faro foram suspendidas as celebrações de passagem de ano e nem sequer haverá fogo de artifício. Em comunicado, citado pelo jornal regional “Sul Informação” é justificado que a escolha está relacionada com o “evoluir da situação epidemiológica registada nos últimos dias e às recentes medidas definidas pelo Governo para conter o crescimento da pandemia nas próximas semanas”.

Destaque ainda para Albufeira onde vai haver fogo de artifício, mas sem assistência na Praia dos Pescadores. “Será um espetáculo feito de forma deslocalizada. Teremos fogo de artifício em vários pontos do concelho para que as pessoas possam ver a partir das suas casas e dos hotéis onde estejam alojadas”, descreveu o presidente da Câmara de Albufeira, José Carlos Rolo ao jornal regional “Sul Informação”.

Recomendadas

Espanha prepara-se para anunciar fim do uso de máscaras nos transportes públicos

A proposta vai ser apresentada no Conselho de Ministros no dia 7 de fevereiro.

Fim súbito da política de ‘zero casos’ é desafio de credibilidade para Pequim, diz investigador

“Até para a propaganda do regime é desafiante construir uma narrativa coerente sobre o que está a acontecer”, descreveu Yanzhong Huang, que dirige a pesquisa em assuntos de saúde global no Conselho de Relações Externas, um centro de reflexão (‘think tank’) com sede em Nova Iorque.

Covid-19. Administração da ULS Baixo Alentejo vai ser julgada em Beja devido a vacinas

O julgamento envolve seis arguidos e está previsto começar em 13 de fevereiro, às 09:30, decorrendo no juízo local criminal do Tribunal de Beja, indicou hoje à agência Lusa fonte judicial.
Comentários