Autor
André Barata, Filósofo, Universidade da Beira Interior
Artigos

As florestas que escutamos

Há uma lição da floresta para todos os lugares que habitamos. Melhor do que pensar a floresta como um habitar menos que apenas se visita, importaria talvez pensar o habitar como uma visita. Assim, estamos e não afastamos.

Os rios com que sonhamos

Talvez nos iludamos nos sonhos, mas talvez nos iludamos menos. Há uma sinceridade da mente consigo própria no sonho. Talvez porque sonhar seja mais da ordem do que nos acontece do que do que fazemos acontecer. Há neles uma vocação ecológica e comunitária.

Modos de superficializar

A noção de superfície não é inequívoca. A superfície pode separar uma realidade na sua unidade do resto em volta, ou, pelo contrário, ligar realidades, justapostas, conviventes. E é por aqui que há que fazer caminho.

O tempo do depois

Putin está a ganhar a guerra independentemente da resolução da guerra na Ucrânia. Os líderes nacionalistas, mais ou menos xenófobos, iliberais, na Europa ou no Sul, sairão reforçados nos seus territórios de poder, tenham muita, pouca ou nenhuma legitimação democrática.

A interpelação à esquerda ocidental

Boa parte da reacção da esquerda anti-capitalista à invasão da Ucrânia é desastrada, como o foram as suas primeiras reacções à pandemia, porque em ambas as ocasiões se mostrou surpreendentemente incapaz de ler a novidade, de pensar o que não se deduz do contexto passado e das suas lealdades.

Em meu nome, por favor

Há uma responsabilidade que tem de ser exclusivamente europeia. Há um protagonismo que não pode ficar calado diante da invasão das cidades da Ucrânia, das ameaças à Finlândia e à Suécia. Olaf Scholz virou uma página histórica.
Ver mais artigos