Autor
Diogo Horta Osório, Partner da J+Legal
Artigos

Maioria silenciosa

Portugal não é um país que se leva a sério… Não se levar a sério até seria bom sinal para cada um de nós, mas para um país é tudo o que não pode acontecer.

O mau exemplo da Efacec

O processo de venda do Novo Banco, da TAP e da Efacec seriam bons exemplos para que o Estado não interviesse na economia como ator, como empresário e como empregador.

Winter is coming

Já repeti este título em crónicas anteriores, mas este inverno provavelmente vai ser o mais difícil que atravessei.

Incompetentes até na despesa

É pena que não se invista no SNS, pelo menos o que está previsto nos orçamentos. E é lamentável que o investimento público previsto nos instrumentos financeiros previsionais não seja executado pontual e integralmente.

‘Silly season’

O que devia preocupar os cidadãos, as famílias e as empresas (e o Estado) era que houvesse um plano estratégico para Portugal, com uma mudança da mentalidade das pessoas e do Estado.

Do banco de fomento “for the boys”

Para que foi criado um novo banco, o Banco de Fomento, de raiz? O Estado já tinha o maior banco português, com recursos e ‘compliance’ necessários e suficientes, para dar resposta à canalização dos fundos PRR para as empresas.
Ver mais artigos