Autor
Lígia Simões
lsimoes@jornaleconomico.pt
Artigos

Segurança Social com excedente de 1.611 milhões de euros em abril de 2022

O Executivo revela que a Segurança Social fechou abril de 2022, “marcado por constrangimentos provocados pela inflação e pela mobilização de apoios extraordinários”, com um excedente de 1.611 milhões de euros.

PremiumOE2022 aprovado sem surpresa sete meses depois do chumbo

Sete meses depois do chumbo inicial, o OE2022 vai ser aprovado pela maioria socialista com as abstenções do Livre e PAN. PSD-Madeira manteve voto em aberto até à 25ª hora, depois da extensão do regime da Zona Franca por mais dois anos e apesar da disciplina de voto nacional.

Faturas em PDF aceites até 31 de dezembro para efeitos fiscais

As empresas podem usar faturas em papel (PDF) por mais seis meses, depois de o Governo adiar de 31 de dezembro de 2021 para 30 de junho deste ano a data deixar de as considerar faturas eletrónicas, revela um despacho divulgado esta quarta-feira. Prazo para entrega do IRC é também prorrogado até 6 de junho.

Existem riscos “sérios” de caducarem impostos devidos no negócio das barragens da EDP, alerta Movimento Cívico

O Movimento Cívico Terra de Miranda (MCTM) sustenta que quase um ano e meio após a alienação de seis barragens transmontanas o fisco não só não exigiu o pagamento de mais de 300 milhões de euros de impostos como suspendeu os procedimentos de inspeção que são necessários a essa exigência. E alerta que já passou mais de 1/3 do tempo de que a AT dispõe para concluir os procedimentos, pelo que “existem riscos cada vez mais sérios de caducar o direito à liquidação dos impostos”.

Finanças prorrogam prazo para empresas pagarem IRC até 6 de junho

As empresas vão ter mais seis dias para entregar e liquidar o IRC, cujo prazo termina a 31 de maio. A Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) considera insuficiente o alargamento face ao aumento de casos de covid-19 que está a atingir muitos contabilistas certificados e outros colaboradores das empresas de contabilidade.

Esquema de empresas fantasmas lesa Estado em 26 milhões. Treze acusados em fraude fiscal

Treze arguidos de um processo de fraude fiscal superior a 26 milhões foram acusados de associação criminosa e fraude fiscal contra a Segurança Social e as Finanças. Arguidos deduziram indevidamente valores do IVA, retiveram IRS na fonte e omitiram descontos para a Segurança Social através de um esquema fraudulento de criação de empresas fantasma.
Ver mais artigos