Autor
Rui Campos Matos, Arquiteto
Artigos

A internacionalização da arquitetura portuguesa

Resta pois, hoje, aos arquitectos portugueses, o caminho da internacionalização. A sua actividade, quando praticada seriamente e com atenção às múltiplas e complexas exigências do projecto, tornou-se inviável quando apenas direccionada para o mercado nacional.

Os poios agrícolas da Madeira

A terem-se conservado, seriam agora sérios candidatos a figurar na cobiçada lista da UNESCO. Hoje, para fazermos uma idéia de como eram, temos de recorrer aos registos fotográficos de revistas como o “The National Geographic Magazine” de 1959 e 1973, ou da “Merian” de 1969, documentos extraordinários de uma Madeira rural da qual já não restam senão alguns vestígios.

Desordenamento Genético

Chegados de um país exausto, “agrologicamente pobre e fitologicamente delapidado” (ensina a História), sedentos de terra para arrotear e de pau para toda a obra, fizemos da floresta autóctone o que tinha de ser feito: consumimo-la.