Autoridade dos Transportes está a elaborar ‘retrato’ do setor dos táxis em Portugal

O órgão supervisor do setor dos transportes está a recolher informações sobre este segmento de atividade junto da totalidade das autarquias do continente e das Regiões Autónomas. O processo deverá estar concluído no primeiro trimestre de 2017

Pedro Nunes/Reuters

A AMT – Autoridade Metropolitana dos Transportes está a recolher informações para obter um retrato aprofundado e atualizado do setor dos táxis em Portugal Continental e nas Regiões Autónomas.

João Carvalho, presidente do órgão regulador do setor dos transportes em Portugal (excluindo a aviação) disse hoje, em conferência de imprensa que forma solicitadas informações sobre a atividade económica dos táxis e taxistas a 308 câmaras municipais, ou seja, à totalidade dos concelhos existentes em Portugal.

“Quase todas as câmaras Municipais já responderam. Precisamos de ter uma visão global, de ter uma ideia global, que neste momento não temos do setor dos táxis em Portugal. este levantamento deverá estar concluído durante o primeiro trimestre do próximo ano”, revelou João Carvalho.

Recorde-se que a questão dos táxis tem estado envolvida em polémica desde que surgiram no terreno concorrentes como as plataforma tecnológicas Uber ou Cabify.

Sobre a questão da Uber, a AMT foi chamada a dar pareceres vinculativos sobre a matéria ao governo, Assembleia da república e Autoridade da Concorrência.

A AMT participou também no processo que irá resultar na nova legislação para o setor dos táxis e novos concorrentes, que o Governo deverá ter em fase final de elaboração.

 

 

Recomendadas

Greve na CP e IP suprimiu 701 comboios até às 18h00

A greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) levou à supressão de 701 comboios da CP entre as 00h00 e as 18h00.

NAV Portugal conclui complementação de novo sistema de gestão do tráfego aéreo

A NAV Portugal concluiu, na segunda-feira, a transição para o novo sistema de gestão do tráfego aéreo, que se iniciou no dia 18 de outubro e levou à realização de mais de 400 voos no período noturno em Lisboa.

Greve na TAP. Como saber se há lugar a compensações para os passageiros afetados?

Os passageiros podem ter direito a voo de substituição, assim como alimentação, bebida e internet providenciadas pela própria companhia para as eventuais horas de espera adicionais, de acordo com a AirHelp.
Comentários