Autoridades federais de saúde dos EUA banem cigarros eletrónicos

A FDA decidiu proibir os cigarros eletrónicos da Juul por acreditar que a empresa desempenhou um papel “desproporcional” no aumento do consumo de cigarros eletrónicos nos adolescente.

Autoridades federais de saúde americanas (FDA) ordenaram esta quinta-feira que a Juul retirasse os seus cigarros eletrónicos do mercado dos EUA, segundo a “Associated Press”.

A FDA considerou que a Juul pode ter desempenhado um papel “desproporcional” no aumento do consumo de cigarros eletrónicos nos adolescente. A ação faz parte de um esforço abrangente da FDA para trazer escrutínio científico à indústria multibilionária de vaping após anos de atrasos regulatórios.

Pais, políticos e defensores do antitabaco queriam a proibição dos dispositivos que muitos culpam pelo aumento de fumadores entre menores de idade. Por sua vez, os defensores dizem que os cigarros eletrónicos podem ajudar os fumadores a reduzir o consumo de cigarros regulares.

Os reguladores atrasaram repetidamente a tomada de decisões sobre dispositivos de líderes de mercado, incluindo Juul, que continua a ser a marca vaping mais vendida, embora as vendas tenham caído.

No ano passado, a FDA rejeitou pedidos de mais de um milhão de outros cigarros eletrónicos e produtos relacionados, principalmente devido ao potencial apelo para menores de idade.

Os cigarros eletrónicos apareceram pela primeira vez nos EUA há mais de uma década com a promessa de fornecer aos fumadores uma alternativa menos prejudicial. Os dispositivos aquecem uma solução de nicotina em vapor que é inalado, ignorando muitos dos produtos químicos tóxicos produzidos pela queima do tabaco.

Esta semana a FDA também apresentou planos para estabelecer um nível máximo de nicotina para certos produtos de tabaco para de forma a reduzir a dependência.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários