Avaliação bancária à habitação sobe para máximos de cinco anos em novembro

Valor médio da avaliação disparou 4,6% em termos homólogos e quase 1% face a outubro.

O valor médio de avaliação bancária das habitações subiu em novembro para o nível mais elevado desde setembro de 2011, em mais um sinal do sentimento positivo no mercado imobiliário nacional.

Segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), esse valor médio subiu para 1091 euros por metro quadrado,  um aumento de 0,9% (10 euros) no total do país face ao mês anterior e de 4,6% em relação ao período homólogo.

A tendência de aumento nas avaliações bancárias abrange todo o país, excluindo o Algarve, única região onde a avaliação continuou a descer.

“Apenas a região do Algarve apresentou variação negativa (-1,1%), o que acontece pelo terceiro mês consecutivo. Em comparação com novembro de 2015, o valor médio de avaliação no total do País aumentou 4,6% (3,8% no mês precedente). Os aumentos mais expressivos foram observados nas regiões Norte (4,8%), Centro (4,2%) e Área Metropolitana de Lisboa (4,3%).”

No que diz respeito à tipologia das habitações, os apartamentos registaram aumentos de 1,1% relativamente a outubro e de 4,4% face ao mesmo mês em 2015. O valor médio fixou-se nos 1137 euros/m2, com as maiores subidas registadas no Norte e Centro (5,7% e 4,5%, respetivamente).

Já as moradias, subiram na avaliação bancária para 1014 euros/m2 em novembro, uma diferença de quatro euros face a outubro, repetindo a variação de 0,4% registada no mês anterior. Em termos homólogos, a variação foi de 4,8%.

Relacionadas

Imobiliário rural de luxo: negócio de milhões

O imobiliário de luxo rural vai muito além dos imóveis e os investidores apostam também em atividades turísticas e agro-pecuárias.

Preços da habitação registam maior subida em cinco anos

O Algarve foi a única região a contrariar a dinâmica de crescimento do indicador de vendas.

Famílias com crianças gastam mais 658 euros por mês do que famílias sem filhos

As despesas anuais das famílias com filhos são, em média, 44% mais elevadas do que as dos agregados familiares que não têm crianças dependentes, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Recomendadas

Airbnb. Anfitriões em Lisboa ganharam mais de 11 milhões com a Web Summit desde 2016

O ano passado, um anfitrião típico em Lisboa ganhou em média 400 euros. Nos quatro dias do evento de tecnologia, que regressa à capital portuguesa no próximo mês, foram acolhidos 11 mil hóspedes.

JLL vende projeto para a construção de 514 novos apartamentos em Almada

O empreendimento está localizado no Feijó, na margem sul do Tejo, e tem uma capacidade de construção próxima de 51 mil metros quadrados, informa a própria JLL em comunicado.

Lisboa ultrapassa Madrid, Barcelona e Milão como cidade mais cara do sul da Europa (com áudio)

Em agosto de 2022, Lisboa apresentou um preço médio venda de 4.817 euros por metro quadrado, tendo registado o maior aumento, na casa dos 5,4%.
Comentários