Avaliação da habitação sobe 1,8% e atinge máximo na Madeira

A avaliação bancária da habitação fixou-se em 1.360 euros por metro quadrado.

A avaliação bancária da casa subiu 1,8%, em junho, para os 1.360 euros por metro quadrado, face ao mês anterior, e aumentou 12,4%, comparado com o período homólogo face ao mesmo mês do ano anterior, atingindo um máximo desde janeiro de 2011, de acordo com a Direção Regional de Estatística (DREM).

Os apartamentos foram avaliados em 1.376 euros por metro quadrado, mais 2,2%, face ao mês anterior, e mais  12,1% comparado com o ano passado.

As moradias ficaram em 1.327 euros por metro quadrado, mais 0,6% comparado com o mês passado, e uma subida de 12,4% face ao período homólogo.

No Funchal a avaliação bancária ficou em 1.612 euros por metro quadrado, mais 0,2% face ao mês anterior, e mais 11,0% comparado com o ano passado.

A Madeira é a terceira região do país com o valor mais elevado atrás do Algarve (1.895 euros por metro quadrado) e da Área Metropolitana de Lisboa (1.870 euros por metro quadrado).

Recomendadas

Madeira: Santo António abre candidaturas para apoio à aquisição de material escolar

Os alunos com o primeiro escalão da ASE receberão 25 euros, os alunos com o segundo escalão  terão direito a 30 euros, com o terceiro escalão receberão 35 euros e aos beneficiários do quarto e quinto escalão será atribuído um o montante de 40 euros.

Empréstimos às famílias da Madeira diminuem em 62,1 milhões de euros

No segundo trimestre de 2022, 72,7% dos empréstimos foram destinados ao segmento da habitação, e os restantes 27,3% a consumo e outros fins.

Rácio de crédito vencido e empréstimos a sociedades não financeiras aumentam na Madeira

No segundo trimestre de 2022, o saldo do volume de empréstimos concedidos a sociedades não financeiras (SNF) era de dois mil milhões de euros, mais 43,6 milhões de euros que no final de junho de 2021. No entanto, comparando ao trimestre anterior, este é inferior em 33,8 milhões.
Comentários