Avaliação das casas aumentou para os 1.272 euros\m2 em novembro

Este valor representou um crescimento de 21 euros face ao mês anterior. Número de avaliações atingiu perto de 30 mil, o que significou uma subida de 8,7%.

O valor da avaliação das casas em Portugal fixou-se nos 1.272 euros\m2 no mês de novembro, o que representou um aumento de 21 euros (1,7%) face ao mês anterior, de acordo com os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira, 28 de dezembro.

Com exceção das regiões do Alentejo e Região Autónoma da Madeira que mantiveram o mesmo valor, todas as outras registaram aumentos, com destaque para as maiores subidas verificadas no Centro e no Algarve (2,2% e
2,1% respetivamente).

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor mediano das avaliações cresceu 11,2%, registando-se a variação mais intensa na Área Metropolitana de Lisboa (11,1%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (0,5%).

Analisando o segmento dos apartamentos, a avaliação situou-se nos 1.401 euros\m2, num aumento de 11,9% face ao mesmo mês do ano anterior. O valor mais elevado foi observado no Algarve (1.701 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (905 euros/m2).

A Área Metropolitana de Lisboa apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (11,6%), tendo a Região Autónoma dos Açores apresentado o menor (2,0%). Face ao mês anterior o valor da avaliação subiu 1,2%, tendo a Região Autónoma dos Açores registado a maior subida (3,3%).

A única descida verificou-se na Região Autónoma da Madeira (-0,1%). O valor médio da avaliação para apartamentos de tipologia T2 subiu 10 euros, para 1.422 euros/m2, tendo os T3 subido 19 euros, para os 1.248 euros/m2. Em conjunto, estas tipologias representaram 80,3% das avaliações de apartamentos realizadas no período em análise.

Por sua vez, nas moradias, a avaliação passou para os 1.031 euros\m2, o que representou uma subida de 8,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.758 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.694 euros/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (840 euros/m2).

O Algarve apresentou o maior crescimento homólogo (10,3%) e o menor ocorreu na Região Autónoma dos Açores (1,2%). Face ao mês anterior, o valor da avaliação aumentou 2,1%. O Algarve apresentou o aumento mais acentuado (6,0%), tendo o Alentejo apresentado a única redução (-2,2%).

Em relação ao mês de outubro, os valores das moradias de tipologias T2, T3 e T4, foram responsáveis por 88,9% das avaliações, tendo atingido os 976 euros/m2 (mais 20 euros), 1.019 euros/m2 (mais 22 euros) e 1.092 euros/m2 (mais 14 euros).

Neste período o número de avaliações atingiu as 29.612, o que significou uma subida de 8,7% % que no mesmo período do ano anterior. Destas, 18.858 foram apartamentos e 10.754 moradias. Em comparação com o período anterior, realizaram-se mais 1 603 avaliações bancárias, o que correspondeu a um aumento de 5,7%.

Recomendadas

Israelita entra no mercado imobiliário português com investimento de 84 milhões

David Rabbi chega ao mercado português através da promotora Yard Properties, que vai ficar sediada em Lisboa. O primeiro projeto representa um investimento de 13,5 milhões de euros, mas em carteira já estão mais dois negócios que devem chegar aos 71 milhões.

Só 8% das casas para arrendar em Lisboa custam menos de mil euros mensais

Percentagem cai para os 2% no caso dos imóveis com rendas abaixo dos 750 euros por mês, sendo de 21% em termos nacionais.

Ingleses investem mais de 100 milhões no ‘escritório do futuro’ em Moscavide

O projeto vai servir de extensão ao Parque das Nações e terá uma área total de escritórios de 41.100 m2 distribuídos por três pisos acima do solo, a que se juntam 18.700 m2 de zonas exteriores, tendo capacidade para receber 3.500 funcionários.
Comentários