Aviação. Procura por combustível na Europa deve demorar a alcançar os níveis pré-pandemia

De acordo com o diretor do sector de aviação da Shell, nos EUA os registos já alcançaram os valores pré-pandémicos. Por outro lado, na Ásia, os sinais são bastante distintos, com os mercados “a abrir e a fechar”, referiu Jan Toschka à “Reuters”.

É esperado que a procura por combustível para aviação alcance os níveis pré-pandemia, no valor de 300 milhões de toneladas por ano, nos próximos um a dois anos, de acordo com as declarações à “Reuters” do diretor do sector de aviação da petrolífera britânica Shell, esta terça-feira.

A procura pelo combustível usado em aeronaves na Europa está acima dos 80% dos registos de 2019 e a caminho da recuperação total, ao passo que nos EUA já alcançou os valores pré-pandémicos, referiu Jan Toschka, à margem da 38.ª Conferência de Petróleo Ásia-Pacífico (APPEC). No continente asiático, os sinais apresentados têm sido bastante diferentes.

“A Ásia tem estado num caminho mais acidentado, com os mercados a abrir e a fechar, mas esperamos que no próximo ano regresse [ao normal]. Ainda assim, pode demorar mais um ano para vermos todo o potencial do mercado”, referiu.

As declarações chegam numa altura em que a Europa tem conseguido menos fornecimento de combustíveis fósseis, depois de as sanções aplicadas à Rússia terem deixado o continente refém das importações feitas aos EUA, China, Índia e Médio Oriente.

Recomendadas

Transporte de passageiros continua a ser destaque na criação de novas empresas

O grande crescimento no sector dos transportes ocorreu particularmente entre as atividades ligadas ao transporte individual de passageiros e ao turismo.

Cortiça da Amorim utilizada nos novos veículos 100% elétricos do Grupo Renault

“A imperiosa necessidade de descarbonizar a economia torna a cortiça um material indispensável nesta urgente mudança de paradigma. Os infindáveis atributos da cortiça estão ao dispor de um Planeta mais sustentável”, defende António Rios de Amorim.

Renting, Factoring e Leasing Imobiliário crescem dois dígitos até setembro

O total do sector significou 30,5 mil milhões de euros, 23,8% acima dos cerca de 24,7 mil milhões dos três trimestres do ano passado e do valor similar de 2019. O maior impulso veio do confirming (serviço de gestão de pagamentos devidos aos fornecedores, permitindo ao cliente do confirming libertar capital para outras áreas).
Comentários